Páginas

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Sempre É Tempo de Recomeçar

Quero agradecer a todos os leitores do blog pelo carinho e atenção. Foi muito bom poder compartilhar com vocês as mensagens aqui e saber que para muitos, elas foram edificantes.

Que o próximo ano possa ser melhor para todos nós e juntos crescermos no conhecimento de nosso Deus.

Para finalizarmos o ano quero compartilhar com vocês esta mensagem do pastor Júlio Fonseca, que ela sirva de inspiração para sua vida.


Em qualquer situação podemos abrir novas portas, conhecer novos lugares, novas pessoas, ter outros sonhos.

Renovar o nosso compromisso com a vida e assim, renascer para a vida e alcançar a felicidade.

Não importa quem te feriu, o importante é que você ficou.
Não interessa o que te faltou, tudo pode ser conquistado.
Não se ligue em quem te traiu, você foi fiel.
Não se lamente por quem se foi, cada um tem seu tempo.
Não reclame da dor, ela é a conselheira que nos chama de volta ao caminho.

Não se espante com as pessoas, cada um carrega dentro de si, dores e marcas que alteram o seu comportamento, ora estamos felizes e transbordamos de alegria e paz, ora estamos melancólicos e só queremos ficar sozinhos…

O mundo está cheio de novas oportunidades, basta olhar para a terra depois da chuva. Veja quantas plantinhas estão surgindo, como o verde se espalha mais bonito e forte depois da tempestade.
As portas se abrem para os que não tem medo de enfrentar as adversidades da vida, para os que caíram, mas se levantam com o brilho de vitória nos olhos.

Todo o caminho tem duas mãos, em uma avançamos, mais se algo dê errado, tomamos o caminho de volta e recomeçamos do ponto de partida. Uma que seguimos ainda com passos inseguros, com medo, porque não sabemos ainda o que vamos encontrar lá na frente, na volta, mesmo derrotados, já sabemos o que tem no caminho, e quando um dia, resolvemos enfrentar os nossos medos e fazer essa viagem novamente, somos mais fortes, nossos passos são mais firmes, já sabemos onde e como chegar ao destino, o destino é a vitória, o seu destino é ser feliz, eu creio nisso, e você?

Você está pronto para recomeçar?
O caminho está a tua espera, pé na estrada, coloque um sonho na alma, fé no coração e esperança na mochila, a vida se enche de novidades para os que se aventuram na viagem que conduz a verdadeira liberdade.


Renovemos nossa fé e nosso compromisso com Deus, pois não existe nada nesta vida mais valiosa do que nossa salvação, que é um presente de Deus para nós.

Busquemos ser fieis, compreender a vontade de Deus, ela é que nos garante paz, amor e liberdade. E mais uma coisa... Deixe que neste próximo ano o amor fale mais alto em seu coração.

“Ouve agora minha voz, eu te aconselharei, e Deus será contigo. Sê tu pelo povo diante de Deus, e leva tu as causas a Deus” (Êxodo 18.19).

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Retrospectiva Teológica – Parte 1

 Este ano tive a oportunidade de apresentar aqui no blog, uma série de postagens com conteúdo teológico.

Numa época em que a maioria das pessoas tem preguiça de ler, foi um desafio a ser encarado. A maioria das pessoas estão interessadas mais em curtir e compartilhar um videozinho bobo, do que aprender alguma coisa lendo.

Há quase três mil anos atrás, o profeta Oséias ouviu de Deus uma fala que dizia: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim” (Oséias 4:6).


Tanto quanto naquele tempo, está afirmação reflete um princípio importante: “Meu povo está sendo destruído por falta de conhecimento”, porque eles rejeitaram o conhecimento que Deus fez disponível através da Sua Sagrada Escritura.

A série teológica que eu propus escrever no blog foi exatamente para trazer à mente do povo de Deus, alguns conhecimentos que já não são mais ensinados dentro de muitas igrejas.

Precisamos encontrar tempo para estudar a Bíblia, para que possamos obter conhecimento sobre a verdade. Todavia, existem muitas pessoas que não tem o conhecimento que os levaria a Cristo para a salvação, porque elas rejeitaram o conhecimento que a levaram compreender que de fato precisam ser salvas.

Durante os meses de 2014 começamos ensinado sobre O Maior Inimigo do Homem, ali abordamos que a revelação é a fonte do nosso conhecimento de Deus e de sua vontade. É nela que encontramos também a base de nossos deveres. Portanto quando falamos da Teologia, estamos falando que ela se baseia principalmente nas Escrituras.

Quando temos conhecimento, esse conhecimento nos liberta. Isso está relacionado a qualquer área de nossa vida. É preciso investir no próprio conhecimento. Comprar livros, ler de tudo, e destruir a ignorância. Jesus disse: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8. 32). Portanto quanto mais verdade, mais liberdade. Então estude. Invista no seu conhecimento.

Depois fizemos uma abordagem sobre a Bíblia. A Bíblia É A Revelação de Deus? – Como podemos confiar nas Escrituras? Elas são mesmo a revelação de Deus? Teria Deus se importado em se revelar ao homem? Francis L. Rattan certa vez relatou: “Uma das melhores evidências de que a Bíblia é uma revelação vinda de Deus é que é uma revelação da pessoa de Deus”.


Mesmo sendo a Bíblia uma revelação de Deus, e muita coisa tenha sido revelada a mente do homem de forma sobrenatural, também existe coisas tiradas da história e da observação humana, coisas que não requeria uma revelação sobrenatural. Como na carta que o apóstolo Paulo escreveu aos coríntios: “Tudo isso aconteceu com os nossos antepassados a fim de servir de exemplo para os outros, e aquelas coisas foram escritas a fim de servirem de aviso para nós. Pois estamos vivendo no fim dos tempos” (1 Coríntios 10. 11).

A fonte principal da teologia cristã são as Escrituras. Pois se Deus existe e sendo Ele bom, deve haver certamente uma revelação. Não há como conceber a ideia de um Deus que tendo essa qualidade não se tenha revelado.

Isso deixa o ser humano na seguinte situação, o que alguém pensa sobre as Escrituras determina toda a tendência e natureza de sua teologia. Isso é um assunto de máxima importância e que não pode ser ignorado.

Relacionados:

Retrospectiva Teológica – Parte 2

Ainda seguindo o pensamento teológico, prosseguirmos em perguntar: Pode Deus Ser Conhecido?  Dentre as muitas perguntas que se faz acerca de Deus, esta talvez permeie a mente de muita gente: “Pode Deus Ser Conhecido”?

Para compreendermos a ideia de Deus, devemos aceitar que Deus existe sem sabermos, no entanto, tudo o que Ele é.

A Bíblia relata a manifestação de Deus na natureza, sua revelação nas escrituras e sua encarnação em Jesus Cristo. Tudo isso nos mostra que Deus pode ser conhecido: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti só por único Deus verdadeiro” (João 17. 3).


Todos nós temos conhecimento da terra, sabemos o que ela é, e sabemos que moramos num planeta chamado Terra. Nós podemos tocar a terra sem, entretanto, sermos capazes de abraçá-la com os braços.

No entanto, em Evidências da Existência de Deus, vimos que a fé na Criação sempre foi rebatida por cientistas e ateus. Para eles a busca pelo conhecimento trás respostas para questões vistas como sobrenaturais.

João Calvino acreditava que quase toda nossa sabedoria, que verdadeiramente seja verdadeira e solida sabedoria consiste em dois pontos, são eles: o conhecimento que o homem deve ter de Deus, e o conhecimento que o homem deve ter de si mesmo.

Ele acreditava que o homem nunca poderia chegar ao conhecimento de si mesmo sem contemplar primeiramente o rosto de Deus.

Na definição de Platão, a ideia de Deus se aproxima muito a do Breve Catecismo Cristão.


Se observarmos com atenção, veremos que em todos os tempos e lugares, o homem tem sempre possuído cada uma dessas ideias, e isto sem as aprender, sem que alguém os ensinasse. Portanto, para esses estudiosos a crença em Deus é uma crença intuitiva.

Em Atributos e Substância de Deus, percebemos que uma das maiores críticas que a Bíblia recebe, está relacionado com seus antropomorfismos, ou seja, quando Deus é representado mediante analogias humanas. 

A substância de Deus é puro espírito, nEle não há mistura com a matéria. Portanto, visto que Deus transcende em muito as nossas concepções, podemos dizer que é uma benção Ele se revelar a nos em termos de nossa linguagem e experiência.

Relacionados:

Retrospectiva Teológica – Parte 3

Em Teologia Sistemática existem muitos assuntos difíceis de entender, principalmente se a pessoa não tiver humildade suficiente para assumir suas limitações.

Falar sobre O Decreto de Deus é um desses assuntos pois as pessoas tem uma ideia da soberania de Deus, mas quando isso é posto em prática, não é bem isso o que parece pensar a maioria das pessoas. O que parece é que a maioria das pessoas tem a ideia de que Deus é alguém que lhe deve obedecer às orações, que está pronto a cumprir as ordenanças daquele que tem em suas mãos o poder da oração.

Mas quando estudamos sobre a Soberania de Deus, danos de encontro com a Ordem de Seus Decretos. Isso inclui a criação, a permissão da queda, e a salvação. E para cumprir os Seus decretos, Deus utiliza dos meios necessários para que eles aconteçam.


Ao apresentarmos o assunto sobre As Obras de Deus percebemos que a Ciência jamais apresentou uma explicação das origens mais razoável e satisfatória do que o livro de Gênesis, embora ele não se destine a ser um livro de Geologia, Astronomia ou qualquer outra ciência natural.

Ali não encontramos minúcias científicas, nem descrições científicas detalhadas. Não existem termos técnicos da Ciência. E nem informações sobre os movimentos dos corpos celestes, sobre distância, volume, gravitação ou qualquer outra explicação dessa natureza. Pois o propósito do livro de Gênesis não é nos ensinar ciência. O propósito de Gênesis 1 é introduzir a história da redenção.

Criação e Evolução – Sobre a criação, não há ninguém que negue mais esta teoria do que os evolucionistas materialistas. Certo professor da Universidade de Chicago há alguns anos atrás chegou a afirmar: “A divina criação da vida é puro disparate”.

No entanto, os químicos admitem que a probabilidade dos átomos e as moléculas apropriadas se combinarem para se formar uma única molécula de proteína é de 1 em 10113. E a matemática nos garante que tudo que tenha menos de 1 em 1050 de probabilidade de ocorrer, é descartado como impossível.


Qual a probabilidade de Deus não saber o que irá acontecer? Em A Providência de Deus vimos que o apóstolo Mateus escreveu em seu Evangelho: “E quanto aos muitos cabelos da vossa cabeça? Estão todos contados” (Mateus 10:30). Isso nos leva a seguinte conclusão: Não há essa possibilidade!

Terminamos nosso pensar teológico falando acerca dos Milagres – As Obras de Deus. Percebemos que no século XVIII, mais ou menos em 1750, surgiu o Racionalismo. Uma filosofia que enfatiza a razão humana e sua capacidade para responder as questões básicas. Baseava-se na razão, e não na fé, para criar uma teoria dos seres humanos e seu destino. Voltaire e Thomas Paine lideraram o movimento.

Nesta filosofia as ideias procedem não da experiência, mas da própria razão. Portanto é uma doutrina que rejeita qualquer autoridade além da razão e que, em particular, nega qualquer fundamento à fé religiosa. E por isso procurou contrapor à crença nos milagres o conhecimento mais desenvolvido da natureza. Quis substituir a religião sobrenatural pela religião natural.

É uma pena que muitos cristãos gastam seu tempo teclando em seus celulares, sem se importarem com aquilo que é o de fundamental importância para a sua vida e a sua existência.

Em 2015 estaremos de volta. Espero poder contar contigo aqui no blog. Desejo também que possam compartilhar com seus amigos e parentes este espaço que dedico a todos que amam o conhecimento e que desejam aprender um pouco mais.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Ano Novo Com Mentes Renovadas

A doutrina cristã é algo que chega até nós através de sua revelação, tanto através da natureza, como através da escrita e por último através da redenção.

O fato de ter havido a queda do homem, não faz com que o uso de sua mente seja algo desnecessário. O simples fato de Deus ter se revelado ao homem dessas três formas, mostra que o uso de nossa mente é algo indispensável. A revelação coloca nossa mente no seu devido lugar. Pois ela é algo racional que se revela a criaturas racionais.

O que essa criatura racional precisa fazer é receber esta mensagem, submeter-se a ela e se esforçar para compreendê-la e fazer um relacionamento com o mundo em que ela vive. Pois o fato de Deus ter tomado a iniciativa de se revelar a nós, mostra-nos que nossa mente é finita e decaída.

Deus se revelou primeiro através da natureza, através da criação, e através de tudo que foi formado o homem pôde conhecer que há um Ser com poder suficiente para criar, sustentar e governar tudo o que envolve o que chamamos de Universo.


Depois Deus se revelou através de palavras. Mas para entendermos esta revelação escrita é preciso que nos humilhemos que sejamos como criançinhas, pois a Escritura ensina: “Naquela ocasião, Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos pequeninos”” (Mateus 11. 25).

Ao se revelar a nós por meio de palavras Deus nos mostra que nossa mente tem a capacidade de entendimento. E uma das mais elevada funções de nossa mente é ouvir a Palavra de Deus.

Ao se revelar através da redenção por meio da morte e ressurreição de Jesus Cristo. Agora Deus a anuncia através da mensagem de seus servos. É esta proclamação do Evangelho, feita também através de palavras, que é dirigida às mentas humanas. E este é o principal meio que Deus utiliza para dar salvação aos pecadores: “Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que creem por meio da loucura da pregação” (1 Corintios 1. 21).

Nossa pregação é uma revelação racional. Para um novo ano precisamos de uma mente renovada. Não conformada com as coisas desse mundo (Romanos 12. 2).

domingo, 28 de dezembro de 2014

Isso Também Passará

A cada dia experimentamos a renovação da vida e do amor de Deus. Mas é certo que há momentos de grandes tribulações, de tristezas e de incertezas, mas, a misericórdia e o amor de Deus sempre trazem renovação.

Este texto a seguir ilustra como nossa vida pode ser atingida por momentos de grandes mudanças. São fases da vida pela qual todos passamos, mas quando confiamos em Deus, tudo passará. Pois o Senhor é Deus vivo e presente.


Houve um rei sábio e muito bom que já se encontrava no fim da vida. Um dia, pressentindo a iminência da morte, tirou um anel e chamou seu único filho, que o sucederia no trono.

- Meu filho, quando fores rei, leva sempre contigo este anel. Nele há uma inscrição. Quando viveres situações de glória ou de dor, tira-o e lê o que há nele.

O rei morreu e o filho passou a reinar em seu lugar, sempre usando o anel que o pai lhe deixara. Passado algum tempo, surgiram conflitos com um reino vizinho que desencadearam uma terrível guerra. À frente do seu exército, o jovem rei partiu para enfrentar o inimigo. No auge da batalha, vendo os companheiros lutarem e morrerem bravamente, num cenário de intensa dor e tristeza, mortos e feridos agonizantes, o rei lembrou-se do anel. Tirou-o e nele leu a inscrição: “Isso Também Passará”.

E ele continuou sua luta. Venceu batalhas, perdeu outras tantas, mas no fim saiu vitorioso.

Retornou, então, ao seu reino e, coberto de glórias, entrou em triunfo na cidade. O povo o aclamava. Nesse momento de êxito, ele se lembrou de novo de seu velho e sábio pai. Tirou o anel e leu: “Isso também passará”. 

Tudo que passamos na vida é uma fase, ela pode ser longa ou curta, mas com certeza passará. A única coisa que jamais passará é a fidelidade de Deus e o Seu amor: “Para sempre, Senhor, está firmada a tua Palavra nos céus. Tua fidelidade dura de geração em geração...” (Salmos 119. 89, 90).

sábado, 27 de dezembro de 2014

Você Já Experimentou O Pão Da Vida?

O pão foi o principal alimento dos hebreus. Na Bíblia a palavra pão pode ser encontrada 350 vezes, e ele representa uma das dádivas mais valiosas de Deus, além de sintetizar tudo que é necessário para a subsistência humana.

O livro de Eclesiastes preceitua que ele deve ser comido com alegria: “Vai e come teu pão com alegria" (Eclesiastes 9.7).

No entanto existem coisas mais importantes do que o pão, ou alimento, Jesus em certa ocasião respondeu: "Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus’" (Mateus 4:4-5).

Existem muitas inovações, experimentações e sentimentalismos hoje dentro de muitas igrejas. E muitos nestas situações mão estão dando ouvidos aos pronunciamentos que saem da boca de Deus. Suas experiências são o que faz o espiritual do momento. O que é santo tem se transformado em sagrado. Nesse caso, o alimento tem sido contaminado com outras coisas que não são de Deus.


Jesus ensinando seus discípulos a orar diz: “O pão nosso de cada dia nos daí hoje” (Mateus 6. 11), o pão aqui representa a comida em geral e Jesus nos ensina que podemos confiar em Deus pois Ele proverá nosso sustento diário. Metaforicamente, digo que o alimento espiritual também nos é dado por Deus diariamente em nossa comunhão com Ele. Pois foi o próprio Jesus quem disse: “Eu sou o pão da vida...” (João 6. 35).

Muitas pessoas encaram o pão como uma coisa corriqueira e por isso procuram algo novo, diferente. Mas a Bíblia ensina que esse Pão da Vida não deve ser tratado como algo sem valor, pois “... aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede” (João 6. 35).

O pão literal sustentava os judeus diariamente, mas não lhes podia dar vida eterna. Assim também como você, que ao sentir fome talvez coma um pedaço de pão. Por outro lado, o pão que Jesus ofereceu a todos aqueles que exercem fé nele, os fará ter vida eterna, pois realmente Ele é o “pão da vida”. 

E como podemos saber se temos fé Nele? Se o amarmos, se observarmos seus mandamentos, e a toda palavra que procede da boca de Deus.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Uma Questão Para Ser Feliz

A Bíblia é o conjunto de livros onde Deus nos mostra a Sua vontade para nossa vida. Seus ensinos nos levam ao conhecimento da Palavra de Deus e ao discernimento espiritual. E todos aqueles que seguem esses ensinamentos são abençoados. E todos aqueles que não obedecem deixam de receber muitas bênçãos, apesar de crerem no mesmo Deus.

Em relação à felicidade que esperamos receber de Deus não é diferente. Para que possamos conhecê-la depende em parte de mim e em parte depende de Deus.


Ora, a Bíblia ensina o caminho do bem, nos orienta que se obedecermos e praticarmos teremos benefícios. Todavia, existem aqueles que frequentam a mesma igreja e as orientações não funcionam para eles, por quê? Simplesmente por que essas pessoas não obedecem e nem praticam a Palavra de Deus. 

Parece simples. E pode ser se você estiver disposto a crer, obedecer e praticar.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Jeová-Salvador-Deus Conosco

Quando lemos a Bíblia nos deparamos com aquilo que ela descreve como sendo as duas naturezas de Jesus. A Bíblia descreve Jesus como sendo Deus e ao mesmo tempo sendo homem.

Quando ela fala de Jesus como sendo Deus, está mostrando Sua natureza divina, a quem todo joelho deve se dobrar em adoração diante Dele.

Quando a Bíblia fala de Jesus como sendo homem, está mostrando sua natureza humana, e assim nos ensina que da mesma forma como Jesus suportou toda provação e tentação, nos também podemos suportar. Mas, além disso, para que nós pudéssemos ouvir os ensinamentos que Deus quer que aprendemos e pratiquemos.

A Bíblia descreve a natureza dupla de Jesus, como Deus e homem da seguinte maneira: “Tendo em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois Ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus O exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai” (Filipenses 2.5-11).

Isso nos faz pensar no seguinte, se Cristo era Deus na forma humana, então Ele, mais do que qualquer outro ser humano, deve ser ouvido, reverenciado e até mesmo adorado. Pois o Deus que criou as estrelas, os planetas e as galáxias tornou-se homem.

O Deus que espalhou diversos sóis pelos céus, viveu e andou nesta terra.

E o mais extraordinário de tudo, Ele morreu por causa de sua própria criação. 

Sua morte significou muito mais do que a morte de um homem bom. Sua morte é o sacrifício supremo de todos os tempos.

O nome Jesus Cristo é tanto um nome como um título. Derivado do nome grego Jeshua ou Joshua, que significa “Jeová-Salvador” ou “o Senhor Salva”, Sua morte nos mostra qual era Seu desejo ao se entregar a humilhante morte de cruz: salvar a todo aquele que Nele crer.

Cristo por sua vez, é uma palavra derivada do hebraico Mashiach que tem como significado “o ungido” (Daniel 9. 26).

Isso tem grande importância, pois o título Cristo trás consigo duas funções, são elas: a de rei e a de sacerdote. Isso indica que Jesus é mostrado como o sacerdote e o rei prometido nas profecias do Antigo Testamento.

Para a época de Natal que se aproxima, lembrar dessas coisas tem um significado importantíssimo, pois nos faz pensar no seu real sentido e no verdadeiro aniversariante.

“Pois o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a jovem que está grávida dará luz um filho e porá nele o nome de Emanuel” (Isaias 7. 14).

Emanuel foi o nome com o qual o profeta Isaias designou o filho que seria concebido por uma virgem, Maria, isto é Jesus Cristo, o “Deus conosco”.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Bons Amigos Para Se Ter, Bons Amigos Para Se Ser

Para se manter uma boa amizade é preciso muito tempo e cuidado. É como cuidar de um jardim!

É preciso esforço para antes de se ter, ser um bom amigo. É preciso ser generoso, demonstrar bondade, e interesse pessoal. É preciso estar disposto a dar de seu tempo quando seu amigo precisar de você.

Nessa geração tecnológica, de grande modernidade, que nos permite que tenhamos centenas de amigos on-line, bastando para isso apenas um click, ainda existe pessoas que se encontram solitárias.

Na Grã-Betânia, no dia 25 de dezembro de 2010, uma mulher de 42 anos postou um comentário suicida numa rede social. Sua mensagem parecia ser um desesperado pedido de ajuda. Apesar dos seus mais de mil amigos on-line, nenhum deles foi capaz de prestar-lhe ajuda. No dia seguinte, a polícia encontrou o seu corpo, ela havia tomado uma grande quantidade de remédio que lhe causou uma overdose.


Ter amigos é importante, mais isso é mais do que apenas clicar em um link. A sociedade tem incentivado a pessoa a pensar somente em si. Não há incentivo para que se preocupe com outro. Por isso muita gente fica surpresa quando alguém mostra interesse real em você sem querer nada em troca.

A Bíblia nos ensina, através das palavras de Jesus: “Tratem as outras pessoas da maneira que vocês gostariam de ser tratados por eles. Deem aos outros e também será dado a vocês” (Lucas 6. 31, 38). 

Jesus está nos ensinando a ser altruístas e generosos, qualidades que ajudam a desenvolver boas amizades, e faz com que as pessoas queiram se aproximar de você.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

O Perfeito Vínculo de União

Geralmente esperamos muito mais dos outros do que estamos dispostos a dar de nós mesmos. Mas, quando somos capazes de reconhecer que somos passíveis de erros e que precisamos de perdão, ficamos mais dispostos a perdoar as outras pessoas.

Jesus certa ocasião chamou seus discípulos e lhes disse: “Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu lhes tornei conhecido” (João 15:15).


Isso é muito interessante, pois, quanto mais conhecemos nossos amigos, temos maiores probabilidades de ver suas falhas. Fica muito mais evidente que eles não são perfeitos, como também fica claro que nós também não somos. Isso nos mostra que não devemos esperar e nem exigir perfeição deles, assim como fez Jesus com seus discípulos. Jesus sabia valorizar as boas qualidades de cada um daqueles homens, Ele não levava em conta os seus erros.

Aceite o fato de que seus amigos vão cometer erros. Veja bem, Pedro negou Jesus, Judas O traiu, todos os outros o deixaram só. Mas Jesus em nenhum momento agiu de igual modo. Isso nos ensina que devemos nos esforçar para resolver os problemas quando eles aparecerem. Que devemos agir prontamente e fazer todo o possível para esquecê-los.

Uma verdade muito simples da qual precisamos aprender está registrado na carta de Tiago, ele escreve: “Todos nós tropeçamos muitas vezes. Se alguém não tropeçar em palavra, este é homem perfeito, capaz de refrear também todo o seu corpo” (Tiago 3. 2). Se reconhecermos isso, isso nos ajuda a sermos mais compreensíveis com nossos amigos.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Dentro Dos Limites Que Deus Preparou Para Mim

Certa vez tive de continuar o trabalho de um missionário numa Congregação na cidade de Santa Isabel. Uma das primeiras coisas que falei para a igreja ali foi que não houvesse comparações de meu ministério com o daquele que estava saindo.

Eu sabia que todos ali gostavam dele, pelo seu carisma e seu carinho com as pessoas. E certamente haveriam de fazer certas comparações. Outra coisa, eu também não estava a fim de ser distraído por críticas e nem ter de enfrentar debates contraproducentes sobre meu ministério.

John Bunyan disse: “Se minha vida é infrutífera, isso não importa a quem me enaltece e, se minha vida é frutífera, isso não importa a quem me critica”.

Jesus foi um que passou por essa questão, todavia, Ele não estava muito preocupado com a opinião alheia, Ele continuou obedecendo até o fim.


Aceitar e desfrutar a forma como Deus me fez é a melhor coisa que eu posso fazer. É Deus quem sabe o que é melhor para mim.

Paulo escrevendo aos Romanos disse: “Mais exatamente, quem és tu, ó homem, para discutires com Deus? Vai acaso a obra dizer ao artífice: por que me fizeste a assim?” (Romanos 9. 20). Isso significa dizer que, aquilo que sou foi formado por Deus de forma soberana, e isso é estar dentro dos propósitos Dele. Então não devo me ressentir ou rejeitá-la. Aprendi que não devo querer remodelar ou querer ser outra pessoa. Eu sou aquilo que Deus me fez ser e isso é motivo de eu comemorar e de dar ações de graça. Pois aquilo que sou Deus deu somente a mim.

O resultado disso na Congregação foi que me aceitaram com alegria e a minha esposa e dois filhos, crianças nessa época.

Cristo concede a nós aptidões especiais, isso é para cada um de nós, Ele pode nos dar qualquer coisa que Ele queira nos dar do Seu rico depósito de dons.

Isso implica em reconhecermos as nossas limitações e aceitar. Ninguém é bom em tudo, e ninguém é chamado para ser tudo. Todos temos papéis definidos. 

Portanto: “Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade” (2 Timóteo 2.15 - NVI).

Esquecendo Para Trás O Que Passou

Estamos em reta final para o Natal. É bom relembrar que Jesus quando veio ao nosso mundo, veio como reino em pessoa, a personificação das boas notícias que trazia. Ele é o semeador por excelência, mais que isto, Ele é o grão de trigo que cai na terra e morre, para produzir fruto em abundância (João 12.24).

Numa época como essa, de festa natalina, muitas pessoas vivem o drama de não serem aceitas por seus pais, amigos, parentes, e até mesmo pelo seu amor. Muitos não são aceitos e são até mesmo rejeitados. No entanto, a Bíblia nos afirma que Deus nos amou primeiro: “Nós o amamos a Ele porque Ele nos amou primeiro” (1 João 4:19).

Jesus enquanto esteve no meio de nós também foi rejeitado. Mas apesar de tudo que Ele passou e sofreu, aceitou fazer a vontade do Pai, por amor.


O que importa para Deus não é o que eu pareço ser, mas, o que de fato sou. Não é a aparência, não é a grandeza da estatura, tudo isso Deus rejeita: “... porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (1 Samuel 16. 7).

O que importa para Deus é o que está no coração do homem, não a sua aparência. Deus está mais interessado em nossa vontade de fazer a sua obra e na contribuição que podemos dar para a mudança do mundo, do que naquilo que eu pareço ser diante dos homens.

Mas, conforme o Dr. Myles Munroe: “Não se podes transformar ao mundo a menos que te transformes a ti mesmo. Temos estado tão ocupados em voltar ao céu, que nos temos esquecido de transformar a terra”.

Precisamos esquecer para trás o que passou, Jesus na cruz achou forças para dizer: “Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem” (Lucas 23. 34). Ele não era conformado com este mundo, e espera que nem nós sejamos, mas que: “... sede transformados pela renovação do vosso entendimento” (Romanos 12. 2a). 

“Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3:13-14).

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Cinco Pães e Dois Peixinhos

Certamente você já deve ter ouvido alguém falar que Deus usa cada pessoa do jeito que Ele quer. Com seus erros suas imperfeições e coisas do tipo.

Na verdade isso já foi provado pelo próprio Deus quando Ele escolheu Davi, um jovem pequeno que enfrentou o gigante Golias e o destruiu. Segundo a narrativa do livro de 1 Samuel, Golias era um gigante da cidade de Gate, e um campeão dos filisteus.

Mas o que fez a diferença não foi que Davi fosse mais forte, ou mais bonito, ou qualquer coisa de sua aparência. Na verdade Deus não está preocupado com aparências. Isso quem faz são os homens com sua filosofia grega.
 O próprio Davi deu a resposta a Golias, ele disse ao grandão: “Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado” (1 Samuel 17. 45).

Cada ser humano é diferente do outro, ninguém é igual a ninguém, apesar de termos pontos em comuns, os detalhes são diferentes e isso nos faz únicos.

Se sou grande ou pequeno, gordo ou magro, bonito ou nem tanto, forte ou fraco, nada disso tem valor nas mãos de Deus. A Bíblia diz que: "Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes” (1 Coríntios 1. 27).

Em outra ocasião Deus usou um menino com cinco pães e dois peixinhos para o seu propósito. Por isso não importa quem você é ou qual seja sua aparência. Se você quiser Deus usará você para fazer milagres e para levar a Sua Palavra ao mundo. 

Há alguns dias eu fiz um post com o seguinte título: “Que Posso Eu Oferecer Ao Senhor?”, na verdade, tudo o que fizermos para Deus será pouco perto do que Ele fez por nós. Mas uma coisa é muito importante, Jesus deu uma ordem aos seus discípulos e a qual é transferida para a Igreja em nossos dias, Ele disse: “Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos" (Mateus 28:19-20). 

Da mesma forma como Davi, e o menino que tinha os cinco pães e dois peixinhos, precisamos estar disponíveis para Deus nos usar onde e quando Ele quiser, e mais importante, da forma como somos.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Sob As Asas do Amor

Diante de Deus somos todos iguais. Ele não faz acepção de pessoas: “Porque para com Deus, não há acepção de pessoas” (Romanos 2. 11).

Cada um com seu dom, com sua personalidade, com seu estilo e seu modo de ser. E o melhor de tudo é saber que Ele nos usa conforme Ele quer. Ele não faz um monopólio acerca de nada. Ele não nos diz que devemos ser possuidor de certo tipo de personalidade para que Seu Espírito Santo aja através de nós.

Deus não nos diz: “Vou amar você quando...”, ou “Amo você por que...”, ou “Vou amar você se...”. Ele diz simplesmente: “Amo você!” E ponto final.


Por isso com muito amor e carinho Ele deseja cuidar de nós. Há um desejo em Seu coração de nos colocar debaixo de suas asas, onde nenhum mal pode nos alcançar.

Jesus certa vez falou para os moradores de Jerusalém: “Quantas vezes Eu quis reunir os teus filhos como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas vós não o aceitastes!” (Lucas 13. 34).

Quantas vezes preferimos o mundo ao amor que Deus quer nos dar. Mas é preciso entender que você é um escolhido de Deus. Se você quiser Ele usará você, não importando os seus erros, os seus defeitos e seus pecados. Não importando o quanto estranho você possa parecer aos olhos dos outros.

Ele espera que você se aproxime dele e que permita que Ele o use do jeito que você é. Não importa onde você está, mas como deseja ser usado por Ele. Então Ele o resgatará do pecado e o colocará no alto de uma montanha, e então sob suas asas ele o protegerá.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Igual a Você - Salomão do Reggae

Uma vez perguntei a um grupo de adolescentes o que eles pensavam que diferenciava uma pessoa “crente” de uma que não seja.
Muitas respostas foram ditas, mas eu me peguei na reposta de uma jovenzinha que respondeu: “Nenhuma”.

Aproveitei esta oportunidade para mostrar que não existe nenhum super-homem ao aceitar o amor de Jesus. Pelo contrário, a vida continua como a de qualquer outra pessoa. Com suas alegrias e tristezas, lutas e vitórias.

A única diferença é que o “crente” crer em Jesus, e é isto que faz a grande diferença. Pois a partir daí muitas opiniões, ideias, ponto de vista, atitudes, reações, e sentimentos são direcionados para serem aprovados por Deus.

A vida de um “crente” aqui na terra, não é diferente de qualquer outra pessoa, pois respira o mesmo ar, come e bebe, dorme, estuda, trabalha, se casa, fica doente, e morre.

Mas o “Meu coração exulta no Senhor, no Senhor minha força é exaltada” (Mateus 6. 13).

Então: “Sejam fortes e corajosos. Não tenham medo nem fiquem apavorados por causa deles, pois o Senhor, o seu Deus, vai com vocês; nunca os deixará, nunca os abandonará” (Deuteronômio 31. 6).

“Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito” (Romanos 8. 1).


Igual a Você

Salomão do Reggae

A forma que eu canto esta canção
não altera o que eu tenho no coração
Oh não, para o meu senhor
Minhas tatuagens, meu jeito de ser
não espantam, não botam pra correr
aqueles que querem a verdade
Eu já sei o que vai dizer
Eu sou diferente pode crer

Só que dentro de mim
Existe um ser igual a você,
igual a você, igual a você,
que anda de terno e de gravata,
igual a você, igual a você,
que anda de carro magnata,
igual a você, igual a você,
que só faz compra no shopping da Barra,

Igual a você, Igual a você
que consegue tudo na pirraça,
Igual a você, Igual a você
que não gosta de gente de outra raça,
Igual a você, Igual a você
que faz tudo copiando a massa,
Igual a você, Igual a você
que só veste o que a moda te passa,
Igual a você, Igual a você

Quem condena meus dreads não sabe o valor
Que tem um Rasta nas mão do Senhor 

Pra falar do amor, falar do amor
você que tem seu estilo
Não vai se calar diante daquele que quer condenar
pois quem condena já está tão longe,
tão longe daquele que morreu
Pra dar a consciência que pode mudar
fazendo o homem amar outro ser igual a você, 

Igual a você, Igual a você
que anda de terno e de gravata,
Igual a você, Igual a você
que anda de carro magnata,
Igual a você, Igual a você
que só faz compra no shopping da Barra,
Igual a você, Igual a você
que consegue tudo na pirraça,

Igual a você, Igual a você
que não gosta de gente de outra raça,
Igual a você, Igual a você
que faz tudo copiando a massa,
Igual a você, Igual a você
que só veste o que a moda te passa,
Igual a você, Igual a você