Páginas

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

A Queda do Homem – Antropologia – Parte 2 – E.T.

Mais do que um mero infortúnio, a queda corrompeu a natureza espiritual da raça humana. Pois tendo sido dado o primeiro passo, segue-se rapidamente em crescimento que levará ao plano da iniquidade.

Deus podia ter evitado o pecado? Sim podia. Mas Ele preferiu permiti-lo, por motivos que nos são desconhecidos. Mas uma coisa deve ficar bem clara para nós, o amor de Deus é mais evidente na redenção, do que o seria se não houvesse o pecado.


Toda a humanidade herdou uma natureza pecaminosa, e essa natureza é pecado em si mesma. Portanto todo o gênero humano está em um estado de pecado e miséria.

Adão pecou, isto é, desobedeceu a uma ordem de Deus, e tendo desobedecido corrompeu a sua natureza. Ao fazer isso Adão transmitiu a sua posteridade uma propensão para o mal. E essa propensão cresce com rapidez, pois veja, o primeiro homem que nasceu nesse mundo assassinou ao segundo, e a degeneração da raça marchou ao ponto de ter culminado na destruição do dilúvio.


O efeito da queda trouxe degeneração e morte: “Todo o gênero humano por sua queda perdeu comunhão com Deus, está debaixo da sua ira e maldição, e assim sujeito a todas as misérias nesta vida, à morte e às penas do inferno para sempre” (Resposta á pergunta 19 do Catecismo). 

“O que é nascido da carne é carne” (João 3. 6). A raça humana perdeu-se na queda.


Leia também:

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Deus Festeiro

Jesus sempre falou para diverso público. Ele tinha facilidade em falar tanto para gente simples, como para aqueles que o ouviam quando lemos o Evangelho de Mateus 22. 1-14.

Aqui neste texto, o público de Jesus era composto de Judeus. Gente que se orgulhava de descenderem de Abrão; de terem uma moral elevada; de terem compromisso com o melhor da religião monoteísta daqueles dias. Eram pessoas que se consideravam equilibradas emocionalmente; e, que eram frequentadores regulares das reuniões religiosas dos judeus.

Mas Jesus era desses que gosta de observar, e Ele notou que aquele auditório tinha a ver com o passado; não pertenciam ao futuro, estavam presos ao passado, viviam uma história trágica. Ele identifica um grupo atrelado ao pior das relações religiosas dos seres humanos com Deus. Eram pessoas que não se incluía nas grandes perspectivas de Deus para o futuro.

Jesus tinha uma mensagem para aquela gente. E o que Jesus queria dizer para aquelas pessoas e o que Ele quer dizer para nós hoje?



Primeiramente, Jesus quer dizer que o primeiro convite é relacionado ao povo de Israel. É o convite da lógica e da dignidade humana. Pois o primeiro convite foi enviado à Israel em coletividade, isto é, ao povo escolhido.

Este primeiro convite está baseado na lógica do comportamento, ou seja, na lógica da lei, pois o verso oito diz: “Não terás outros desuses diante de mim, Não adorarás outros deuses, Não use o nome do Senhor Deus em vão, Guardará o dia de descanso, Respeite pai e mãe, Não mate, Não cometa adultério, Não roube, Não testemunhe falso contra o próximo, Não cobice” (Mateus 22. 8).

Já o segundo convite é direcionado a todos que não viviam pela lei. É o convite da lógica da graça. Pois a ordem era: Sair e pegar a todos que acharem; não perguntar nada sobre eles. Pelos becos, pelos atalhos. E isso tem um significado muito grande: Eu não fui convidado porque merecia.

A lógica da graça é ilógica. Ela obedece aos critérios do amor generoso e incondicional de Deus. É como se Deus falasse; “Saiam por aí e traga gente rica, gente pobre, que merece e que não merece, tragam aqueles que são pervertidos".

A lógica da graça se baseia na motivação festeira de Deus. Bem diferente do Deus que a religião concebe: fechado, pesado, casmurro, austero, severo, estraga prazer, e convenhamos, não há festa nisso.

Mesmo sendo um Deus de festas Ele é Deus que fala sério, pois na hora de julgar, Ele julga. Na hora de salvar, Ele salva. A salvação é uma festa.

A lógica da graça se baseia ainda nos critérios simples da lei do encontro. Ou seja: tragam gente: alto, baixo, bonito, nem tanto... Se for bom ótimo, se for mal, não tem problema, pois Eu dou um jeito nele.

Portanto o conselho para você é: Se você ouvir a Sua voz, aceite o convite, não negue, nem endureça o seu coração, Ele está  convidando você.

A terceira lógica da graça se baseia no fato de que Deus não procura virtudes, Ele está procurando disponibilidade ( V.10).
O que Deus quer saber é se você está disponível, Ele não quer saber de desculpa. Ele faz o convite, você aceita?

É uma relação de proposta e resposta. De Ele Abrir a porta e você decidir entrar; Dele puxar uma cadeira e você sentar.  De e Ele oferecer uma veste e você  vestir. É sempre um convite, você vai aceitá-lo?

A quarta lógica se baseia no fato de que esse convite é totalmente justificado por esta graça que veste os inadequados.

Preste atenção nisso, apesar de está apoiado na graça, é preciso  que  a pessoa se livre de todo embaraço. Pois imitação e obediência a Jesus é o que se espera da pessoa. Arrependimento e fé são necessário para a salvação.  


Mensagem baseada no texto de Mateus 22.1-14, na Congregação Presbiteriana em Santa Isabel, no dia 29/04/2001.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Como Seria Triste Acordar E...

Pense em como seria triste um dia você acordar sem toda a tecnologia que existe. Você não teria a internet, e nem seu smartphone para se conectar.

Por outro lado você começaria a reparar na qualidade do seu tempo. Perceberia que há mais tempo para reflexão. E como resultado disso sua mente começaria a se tornar menos bagunçada, seus pensamentos começariam se tornar mais lentos, delicados e profundos.

Pense em como seria triste um dia você acordar e descobrir que não há pessoas para amar. Que há um vazio imenso e muita solidão.

Você se lembraria de alguém que você ignorou dentro do ônibus, quando ela sentou-se ao seu lado, precisando de uma palavra de conforto. Mas naquele momento seu smartphone lhe atraia mais a atenção.

Agora pense em como seria triste um dia você acordar e perceber que Deus se tornou um estranho para você, ou alguém que você deixou de conhecer.

Pois você simplesmente estava acostumado a clamar, sem, porém ser devoto a Ele. Ele na verdade sempre foi trocado por uma telinha de cinco polegadas que contém sons e cores.


Falta-nos uma percepção esclarecedora: internet, redes sociais e tecnologia são apenas instrumentos, que podem ser utilizadas a nosso favor. Elas não são boas nem más em si mesmas. Nosso uso delas é que definirão se elas irão nós beneficiar ou prejudicar.

Existe um mundo de coisas ao nosso redor, e se observarmos as coisas com mais atenção, notaremos que tudo ganhará um novo foco.

Repararemos nos detalhes de nossa cidade, detalhes nunca antes observados. Andaremos pelas ruas como um turista conhecendo um lugar pela primeira vez.

E nos afastando da movimentação digital, poderemos refletir nos feitos de Deus.  Passaremos a dar mais importância àquilo que Deus quer que falemos aos necessitados, pois conseguiremos pensar em Deus mais concentradamente.

E descobriremos abismado que Deus é o nosso Bem Supremo:

Antes eu te conhecia de ouvir falar
Mas agora de contigo andar
Eu sei o Deus que tenho
Meu Rei, Senhor e Pai
Te quero em minha vida
Mais e mais

Antes eu te conhecia de ouvir falar
Mas agora de contigo andar
Tu És meu Bem Supremo
Meu Rei, Senhor e Pai
Me alegro em Tua vontade
Mais e mais

Asaph Borba, Grupo Life.

“Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo, clamem por Ele enquanto está perto” (Isaias 55.6).

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Saber Amar

Existe outra razão para amar senão amar?

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira...” (João 3.16). E por essa razão: “Nós O amamos a Ele porque Ele nos amou primeiro” (1 João 4.19).

Amar como ama o Amor não é preciso razão para amar senão amar.

Assim como diz o poema:

Amo como ama o amor.
Não conheço outra razão para amar senão amar.
Que queres que te diga, além de que te amo,
Se o que quero dizer-te é que te amo?
– Fernando Pessoa.

Melhor do que presentes matérias, mesmo que aprendamos a não ser consumistas, são os presentes doados pelo ser.

Pois esses são presentes que contam uma história, uma história de vida, dos momentos tristes, dos mais felizes, que falam das dificuldades, mas também dos sonhos e esperanças.


Quando se ama apenas por amar, assim como ama o Amor, não há traça, não há ferrugem, pois:

O verdadeiro amor nunca se desgasta.
Quanto mais se dá mais se tem.
- Saint Exupèry.

O amor é livre, e por livre ser, deixa livre ser com a convicção de que:

Todas as formas de se controlar alguém
Só trazem um amor vazio
Saber amar
É saber deixar alguém te amar
- Herbert Vianna. 

Portanto: “Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor” (1 João 4.7,8).

Assim Como Deus Faz, Façamos Nós Também

Ao lermos as Escrituras, percebemos que Deus ouve seus servos e presta atenção a seus sentimentos.

Deus é o nosso Pai celeste, e assim como Ele faz com seus filhos, os pais devem imitar a Deus. Pois Deus sabe ouvir o que seus filhos dizem, e o que Deus espera dos pais é que aprendam a dar importância aos sentimentos de seus filhos, mesmo que aquilo que os filhos dizem não venha a agradar, como foi o caso de Moisés, que num momento de cólera, voltou-se contra Deus (Números 11. 11-15).

Nessa ocasião Moisés mostrou um sentimento de violenta oposição contra Deus, O qual ele pensava que o estava prejudicando.

E qual foi a reação de Deus? Ouviu a sua queixa, esperou ele acabar de falar e não se irou com Moisés, pelo contrário, deu uma solução para aquilo que o estava preocupando.

Tiago em sua carta escreveu: “Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar” (Tiago 1.19).


Todos sabem da importância de um bom ambiente para que a criança cresça feliz e saudável. E um ambiente onde os pais se amam e se respeitam é um excelente ambiente para que isso possa acontecer.

O apostolo Paulo escrevendo aos crentes da cidade de Colosso disse: “E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos. A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração. E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas” (Colossenses 3:14-19). 

O ambiente de Deus é saudável! Ele ama o seu Filho, e o Filho O ama. Deus chegou a elogiar o seu Filho, Ele disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:17). Portanto, assim como Deus fez, os pais devem imitá-Lo, pois bons pais sabem elogiar os seus filhos.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Cinco Princípios e Valores Para a Vida

Existem cinco palavras que começam com "C" e que nos ajudam a entender melhor esse texto de Filipenses. "Considero como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo" (Filipenses 3. 8).

Essas palavras nos ensinam principalmente sobre os princípios da vida e outros aspectos em geral. São elas:

Consagração: Isso nos ajuda a fazer com que a vida tenha sentido para alguma coisa ou para alguém. Existem muitas pessoas que precisam da nossa presença e do nosso amor.

Concentração: Nos ajuda a ter sempre um objetivo específico em mente. Nós mesmos temos de descobrir que objetivo é este.


Cancelamento: Nos ajuda a desfazer-se de algumas coisas. Há muita coisa em nossa vida que precisa ser jogada fora, no lixo.

Continuação: Significa procurar atingir o que se tem em mente. É preciso continuar sempre em direção ao alvo. Não desanimar, não desistir.

Constelação: Ensina-nos a aceitar com humildade a ajuda dos outros para certas realizações. Uma estrela solitária não forma uma galáxia.

Se estes princípios e valores nos ajudam a descobrir o que se deseja na vida, devemos transmitir a formula para outros.

Que o Senhor lhe ilumine, ajudando-o na sua caminhada com Cristo.
  

Mensagem pregada no Ponto de Pregação em São Cristovão, em 11/10/2000. Baseada no texto de Filipenses 3. 8.

O Melhor Amigo

Imagine-se acordando um dia, pensando que tudo será como normalmente é. Você se levanta, toma o seu desejum e se prepara para ir trabalhar.

O dia passa depressa, e chega a hora de você se encontrar com o mestre.

Nesse momento Ele lhe faz uma revelação que o deixará maravilhado. Pois o Senhor Jesus diz que já não somos apenas servos, mas seus amigos. Conforme aconteceu no texto de João 15.12-15.

Então Ele começa a explicar por qual motivo Ele tomou essa decisão. Ele diz que os amigos são confidentes. Que não existem segredos entre eles (João 15. 15b).

E você fica contente, pois, amigo é aquele que não abandona, mas acolhe; é aquele que sabe ouvir o nosso dilema. Amigo é aquele que se for preciso, oferece a sua própria vida!

O que de fato veio acontecer. A mais elevada expressão de amor é o auto-sacrifício, no qual nem mesmo a vida é poupada: "Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos." (1 João 3:16).


Ao nos chamar de amigos Jesus estava nos ensinando uma lição. Que o amor que se exige do crente é um amor de sacrifício próprio. Embora não muitos sejam chamados a sacrificar a própria vida, todos podem contribuir sacrificando com aquilo que possuem.

E isso me faz lembrar uma canção do compositor Sérgio Lopes, A música se chama “O Amigo”, e eu vou parafraseá-la neste momento:

Jesus nos livrou das algemas do pecado com sua própria vida.
Quando lhe falei do meu passado Ele me perdoou.
Para isso Ele teve de pagar um auto preço.
Suas mãos foram feridas, por que Ele amou muitas vidas.
E uma dessas muitas vidas era eu, e pode ser você.

Quem aqui já sentiu a dor de ser gravado em uma cruz, pagar pelos erros que não cometeu?
Quem aqui é capaz de olhar nos olhos de quem algum mal lhe fez?
Quem é capaz de sem ressentimento oferecer perdão?
Quem pode ser melhor amigo que um Senhor, que pelo servo a própria vida renunciou?   

Compromisso Com Cristo

No ano de 2001 eu preguei na congregação da igreja onde eu era membro. Na ocasião eu baseei minha mensagem no texto de Lucas 11. 23: "Quem não é comigo, é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha."

Lembro-me de escrever a palavra “COMPROMISSO”. E depois dividi-la como se segue:

A palavra compromisso significa:

Com   = Junto
Pro     = A favor
Misso = Missão

A partir daí comecei minha exposição do texto:


Jesus está mostrando que: Juntar é diferente de Espalhar. Que a expressão “Por mim” (por Ele) é diferente de “Contra mim” (Contra Ele).

Está mostrando também que: Céu é diferente de Inferno.

E por isso concluímos que Jesus está dizendo que o homem precisa fazer uma escolha.

Certa vez Jesus chorou por Jerusalém, Ele disse: "Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e não o quiseste!" (Mateus 23:37).

Hoje Ele está chorando o mesmo choro! E qual vai ser a sua escolha?
  

Mensagem pregada na Congregação Presbiteriana em Santa Isabel, no dia 28/04/2001. Baseada no texto de Lucas 11. 23.

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Jesus ou Barrabás?

Quase todo mundo conhece o relato de Pilatos planejando libertar Jesus antes da crucificação.

Observe que Pilatos mesmo não O conhecendo, nota em Jesus pureza e honestidade. Ele se admira com a atitude de Jesus. Sabe que Jesus é inocente. Mas, como não era costume do Governo Romano interferir ativamente nas questões religiosas de suas colônias. Planejou com o intuito de libertar Jesus, um plebiscito, isto é, votações. Pois as informações que chegavam a Pilatos eram que Jesus era adorado pelo povo. Então Pilatos colocou a vida de Jesus nas mãos de seu povo, os Judeus.

Entretanto a liderança religiosa, por inveja, manipularam a população e condenaram Jesus à cruz.


Eu quero lhe fazer uma pergunta, quando sua fé é colocada a prova, qual tem sido a sua escolha? Barrabás ou Jesus?

Optar por Barrabás é optar pelo pecado. Pois Barrabás representa a a proposta de troca de valores.

Em um país como o Brasil, se colocássemos em votação, por exemplo, a “padroeira do Brasil” e Jesus Cristo para que se escolha em plebiscito, qual seria a sua escolha?

Qual seria a escolha do povo brasileiro: Barrabás ou Jesus?
  

Mensagem pregada na Congregação em São Cristovão, da 3ª Igreja Presbiteriana, em 03 de novembro de 1999. Texto de Mateus 27:15-25.

O Socorro de Deus

Em época de crise como essa que passamos atualmente em nosso país, não é raro encontrar muitas pessoas desamparadas.

Mas independente da crise, mesmo em uma situação melhor do país, ainda assim, encontramos muita gente desamparada.

Quando lemos o livro de 2 Reis, no capitulo quatro, encontramos a história daqueles que são desamparados na vida e recebem o socorro de Deus. Coisas que acontecem no dia-a-dia da experiência humana. Gente que luta para sobreviver, que busca encontrar um recurso de manter os sonhos da vida realizável.

Ali encontramos uma mulher que fora casada com um homem de Deus, esse faleceu. E na tentativa de sobreviver, pois a vida continua, e o tempo não para, ela se endividou. Então ela precisou de ajuda e foi procurar outro homem de Deus.

Penso que Elizeu agiu como qualquer outro homem agiria. Ele tentou fugir do compromisso, pois a pergunta que ele faz a ela é a seguinte: “Que te hei de fazer?” (2 Reis 4. 2).

Para muitos isso ficaria por aqui mesmo. Deixariam a mulher se resolver sozinha. Mas não foi o que fez. Elizeu, ele pensa outra vez e pergunta: “Dize-me o que tens em casa.” (2 reis 4. 2). 


Quer saber o que isso nos ensina? Pois bem, para os momentos de crise, quando ficamos devendo alguém, quando temos tantas dívidas como essa mulher do texto. Nós precisamos de um milagre, uma intervenção de Deus em nossa vida. Pois só existe um que pode fazer aquilo que está escasso se tornar abundante: O Senhor Deus!

E talvez você queira saber como se pode conseguir esse milagre. E eu vou lhe dizer. Primeiramente é preciso entender que para Deus o milagre é apenas uma possibilidade divina. Para mim e para você é difícil, mas, para Ele não, pois faz parte da Sua natureza.

Depois é preciso alguns elementos que podem ajudar para que o milagre aconteça. E que elementos são esses? O texto mostra pelo menos quatro.

O primeiro deles é ter o senso de realidade, está em no verso 1.  É ser diferente do que encontramos atualmente, quando alguém pergunta: “Como estão as coisas?”, e o outro responde: “Esta tudo bem, com Jesus no barco tudo fica muito bem.” O texto nos mostra que a mulher era capaz da realidade, das constatações, dos fatos reais. Alguém que precisa de um milagre, precisa ser capaz de admitir que não existe outros meios de solucionar os seus problemas. E qual era o problema dessa mulher? Seu marido morreu, ela estava devendo, chegou o credor, e seus filhos seriam levados (2 Reis 4. 1). Portanto, comece a admitir que você precisa mesmo de um milagre, não se engane. Não queira parecer espiritual negando a realidade.

O segundo elemento para que o milagre aconteça é a positividade, que se encontra no verso 2:  “Tua serva não tem nada em casa, senão uma botija de azeite.”  O realismo dela não a impedi de ver a possibilidade da positividade. “Quem sabe o que eu tenho, pode ser maior e melhor se Deus chegar e tocar?”. É preciso reconhecer o que eu tenho, o que restou na botija... No seu caso pode ser o relacionamento com os filhos, ou com o cônjuge... O que está ao meu próprio alcance?

Em terceiro, é preciso agora me preparar para ter tudo o que posso ter, leia o verso 3: “Vai, pede emprestadas vasilhas a todos os teus vizinhos, vasilhas vazias, não poucas.” Isso é ter uma visão de fé, preparar a mente, o coração, o ambiente, os espaços, a atitude do que a realidade será para mim, e não aquilo que tem sido hoje. Busque as vasilhas, faça sua parte e você vai experimentar a intervenção de Deus em sua vida.

Em quarto, é preciso trabalho e fé, esta no verso 5. A mulher não ficou parada a espera do milagre, ela montou uma linha de produção e começou a fazer o que o profeta havia lhe falado. O resultado foi que ela conseguiu quitar sua dívida e ainda lhe restou o suficiente para ela continuar a vida.


Agora uma lição para nós. Essa mulher viu o milagre acontecer na sua vida. E porque eu posso crer que esse milagre também pode acontecer na minha vida?

Pelos seguintes motivos: Primeiramente porque vou esperar tudo de Quem tem tudo. Depois, porque vou oferecer tudo o que tenho a Quem tem tudo o que não tenho. Em terceiro porque crio que assim fazendo, terei mais do que preciso. E por último, quando isso acontecer darei ao milagre um fim proveitoso: “vai pague a dívida e você e seus filhos vivam do que sobrar”.

Muitos não conseguem, pois não observam essas coisas que descrevemos aqui. “Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.” (Tiago 4:3).


 Mensagem ministrada na congregação da 3ª Igreja Presbiteriana, no bairro São Cristovão, em 08 de setembro de 1999. Texto de II Reis 4.1-7.