Páginas

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Criação e Evolução – E.T.

Na postagem “As Obras de Deus” falei que o propósito do livro de Gênesis não é nos ensinar ciência. Embora a Ciência jamais tenha apresentado uma explicação das origens mais razoável e satisfatória do que o livro de Gênesis.

Sobre a criação, não há ninguém que negue mais esta teoria do que os evolucionistas materialistas. Certo professor da Universidade de Chicago há alguns anos atrás chegou a afirmar: “A divina criação da vida é puro disparate”.


No entanto, os químicos admitem que a probabilidade dos átomos e as moléculas apropriadas se combinarem para se formar uma única molécula de proteína é de 1 em 10113. E a matemática nos garante que tudo que tenha menos de 1 em 1050 de probabilidade de ocorrer, é descartado como impossível.

Todavia os evolucionistas materialistas afirmam a eternidade da matéria e das leis da natureza e dizem que todo o universo, com sua ordem maravilhosa e suas formas animadas, teve sua origem na seleção natural, baseada em leis naturais. Outros ensinam ainda que a evolução por meio da energia cria a matéria, os átomos, as moléculas, os coloides e os germes com a vida. Isso faz com que todo o universo seja feito por meio de afinidade química e combinação de elementos.


Esses pensamentos fazem desaparecer todo o desígnio e propósito inteligente na vida do mundo. Não passa de puro ateísmo e casualidade cega. Mas a experiência humana e os fatos da natureza contradizem tudo isso. A Bíblia declara: "Os céus declaram a glória de Deus; e a expansão está contando o trabalho de suas mãos” (Salmo 19,1).

 Talvez seja preciso admitir que os evolucionistas materialistas tenham muito mais fé do que aqueles que creem na criação. Por quê? Porque é muito mais difícil explicar a ordem do universo do ponto de vista materialista de que o ponto de vista teísta.

Criação e Evolução – E.T. – Continuação

Dentre muitas perguntas acerca da criação, existe uma que ainda tem umas controvérsias. É a seguinte: “Quem foi Adão?”.

Quando lemos a Bíblia encontramos o relato de que Deus ao criar os seres vivos, os criou segundo a sua espécie, numa forma que era típica deles mesmos, isto é, no que diz respeito aos peixes, às aves e aos animais em geral. Todavia, o homem não foi criado assim. No relato de Gênesis está escrito: “Façamos o homem segundo a nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gênesis 1. 27). O homem foi criado com dois elementos: o corpo e o sopro de vida, ou espírito de vida. Deus usou no homem uma nova produção diz a Bíblia: “E Deus lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente” (Gênesis 2. 7).


 O homem foi criado superior a toda a criação, e Deus lhe deu a tarefa de dominar “...os peixes do mar, as aves do céu, e todos os animais que se arrastam sobre a terra” (Gênesis 1. 28).

E aqui encontramos a semelhança da qual Deus formou o homem: primeiramente o homem assemelhasse a Deus pelo fato de possuir uma natureza pensante, racional. Isso o faz semelhante, pois a capacidade de pensar, raciocinar, sua inteligência são expressões a inteligência de Deus.

Em segundo, o fato do homem possuir uma natureza moral que o permite saber o que é certo ou errado. Dentre a criação não há outra criatura com tal natureza. O único que pode pensar se deve ou não fazer é o homem. Portanto a lei moral, os ideais e a ética são tudo isso baseado na moral de Deus.

Em terceiro, não existe outro ser que possua uma natureza emocional. Isso deriva da qualidade que também se encontra em Deus, que possui sentimentos santos.

Em quarto, o querer, o tomar uma decisão implica em vontade. Essa vontade, todavia pode ser domada ou direcionada. Possuir vontade é uma semelhança de Deus.


Em quinto, o homem tem a liberdade de determinação própria. Ter liberdade é uma capacidade de Deus, Deus é livre. Portanto, diferentemente dos animais que tem suas ações determinadas por códigos genéticos, e estão debaixo de suas compulsões, o homem pode decidir sua vida.

Em sexto ao homem foi dado a capacidade de exercer domínio sobre a criação. Essa é outra capacidade semelhante a Deus. 

Por último, o homem se assemelha a Deus na imortalidade. Não que ele seja eterno, pois teve um início, mas, sua alma é imortal, vive para sempre. 

Criação e Evolução – E.T. – Continuação

“E daí” – Talvez você se pergunte. “Adão dever ser visto como um ser real ou é apenas um símbolo?”.

Existem ambas as teorias. Mas a que mais se harmoniza com o que foi escrito muitos anos depois pelo apóstolo Paulo é a primeira hipótese: a que Adão viveu na história. Pois Paulo escrevendo aos Romanos 5. 12 em diante e aos Coríntios 15. 21 e 22 refere-se a Jesus Cristo como o segundo Adão, o que não seria possível se Adão fosse apenas um mito, um símbolo.


  Nega-se a realidade de Adão. Os cientistas defendem a idade do homem em cerca de 250 mil anos para o homo eretus. A Bíblia, no entanto, descreve uma civilização com cerca de 10 mil anos.

Temos informações que para que exista proteína, é preciso muito mais que uma molécula. Para que apenas uma única célula possa manter sua atividade, são necessárias aproximadamente 2.000 diferentes proteínas.

Impressionante é a probabilidade de isso ocorrer por acaso, pois chega ao número de 1 em 1.040.000.


Em relação ao homem, ele é definido pelos antropólogos em termos de habilidades de construir, de fazer instrumentos ou qualquer outra coisa que marque a sua civilização. A Bíblia, o define como uma criatura diferente, que foi feita à imagem e semelhança de Deus. 

Embora existam outras teorias acerca do tempo de toda a criação registrada no livro de Gênesis, sua narrativa não impossibilita que o homem tenha sua origem em tempos mais remotos. Todavia, Adão é o representante de onde procede toda a humanidade tal qual a conhecemos.

Fides Quaerens Intellectum (A Fé Que Busca A Compreensão)

Um dia sentado no banco da igreja ouvi de um líder, no púlpito, falar uma coisa da qual fiquei muito preocupado. Ele dizia que para que o cristão fique cheio do Espírito Santo ele deve obedecer ao líder da igreja e observar tudo o que é ensinado na sua doutrina.

A verdade pode ser objetiva, mas os seres humanos geralmente não o são tanto assim. O mundo está sob os efeitos do pecado, nós não estamos em um mundo perfeito. Por isso quando exercitamos nossa razão, nós a fazemos sob a influência da irracionalidade.


Todavia, fé e razão podem ser aliadas, e o cristão pode usa-la neste sentido. Afinal, Deus nos deu uma mente para que pudéssemos usa-la: “antes santificai em vossos corações a Cristo como Senhor; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós” (1 Pedro 3. 15).

O cristão quando usa a razão na sua fé consegue ficar livre de questões similares a fé, mas que são falsificadas. Como por exemplo: a fé racional é amiga da autoridade divina, mas não necessariamente da autoridade humana, principalmente quando essas são baseadas em fábulas e modismos. A fé racional é amiga de Deus, mas, ela não é ingênua, portanto ela nos ajuda a nos afastar das seitas. A fé racional é amiga da esperança, mas não do mero desejo humano.

A Bíblia não ensina que ser cheio do Espírito Santo está ligado a uma subordinação a algum líder religioso, mas diz que, se você é cristão, se você crer em Jesus então você é batizado no Corpo de Cristo, o equivalente a ser batizado no Espírito Santo.

A questão é ler a Bíblia e crer nela. E não se deixar influenciar por modismos que vem de fora: “Estou admirado de que tão depressa estejais desertando daquele que vos chamou na graça de Cristo, para outro evangelho, o qual não é outro; senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema. Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. Pois busco eu agora o favor dos homens, ou o favor de Deus? Ou procuro agradar aos homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo” (Gálatas 1. 6-10).

Ou você crer ou não crer. Mas viver uma fixação com batismo no Espírito Santo pode causar sérios danos emocionais como fobias, manias e medos.

O apóstolo Paulo escrevendo aos romanos é bem claro: “Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Romanos 12. 1).

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

O Que Queres Que Eu Te Faça?

Indagou-lhe Jesus: “Que queres que Eu te faça?” Rogou-lhe o cego: “Raboni, que eu volte a enxergar!” (Marcos 10. 51).

Essa pergunta que Jesus fez a um homem cego pode parece sem lógica, uma vez que todos que conhecem a luz, se colocando no lugar do cego, iriam optar por enxergar.

Mas eu quero falar é da compaixão demonstrada por Jesus, em relação a alguém que não tinha como ver. Que vivia na escuridão.

Como aquele homem cego, existem muitas pessoas com esse sentimento de ser menosprezada, rebaixada, inferiorizada, ultrajada. E quanta tristeza e sofrimento podem causar essa forma de humilhação.

Existem casos em que a situação se torna ainda pior, é quando alguém é exposto em público de forma grotesca.

Mas isso só nos mostra uma coisa: que o problema do outro faz brotar em mim o meu próprio problema, que não sabendo lidar com o problema do outro me faz ficar com raiva, com ódio, agir de agressão e isso revela então o meu problema, que é ficar com raiva.

Tanto quanto Bartimeu, essas pessoas estão cegas!


Jesus várias vezes ensinou que Deus quer ser amado no próximo, ao mesmo tempo em que o amor de Deus é demonstrado ao próximo através de mim.

Mas quando encontramos pessoas ignorando tão grande dor e solidão daqueles que vivem a margem da compaixão e do amor, suscitada pela miséria de sentimentos em que vive a sociedade, deparamos-nos com a condição emocional em que vive tal agressor.

Mas porque as pessoas são tão diferentes? Jesus diz que é a forma como enchemos o nosso coração, ou nossa mente, porque a boca fala do que o coração está cheio (Lucas 6. 45).

Ele nos diz que uma pessoa boa produz do bom tesouro do seu coração o bem, assim como a pessoa má, produz toda sorte de coisas ruins a partir do mal que está no seu coração.


Como você tem enchido o seu coração? O outro tem se sentido amado por Deus através de você? E você, tem visto que Deus o ama através do outro?
Talvez lhe falte essa visão, talvez você não esteja enxergando as coisas ao seu redor.

Bertimeu antes de ser curado jogou sua capa de lado, levantou-se depressa e foi até o lugar onde Jesus estava (Lucas 10. 50). Foi então que Jesus lhe perguntou: “O que é que você quer que eu faça?”.

Talvez lhe falte jogar de lado a arrogância, a altivez. E olhar com compaixão para esse que está ao seu lado. 

Seja o que for Jesus está lhe perguntando: “O que queres que Eu te faça?”.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Atos Que Autenticam a Fé

Todo mundo é responsável pelo quem é, pensa, diz, fala e age. Pois nós somos o que pesamos e sentimos, e toda vez que em palavras exteriorizamos aquilo que pensamos e o que sentimos, ela cria algo dentro e fora de nós. O sábio expressou: “Tenha cuidado com o que você pensa, pois a sua vida é dirigida pelos seus pensamentos” (Provérbios 4. 23 – BLH).

No relato bíblico no livro de Gênesis 22, vemos que era essencial que Abraão cresse em Deus. Era essencialmente importante que ele cresse que Deus havia feito uma aliança com ele. Mas como é difícil ter fé, ela parece não fazer parte da natureza do ser humano, ao contrário, a incredulidade é o que mais prevalece em nosso ser. 
Quando lemos os relatos em Gênesis, vemos como Deus vai trabalhando no coração de Abraão. Como Ele vai lhe fortalecendo a fé até que pudesse ser colocado em prova.

Isso nos ensina uma coisa muito importante: Somente somos capazes de obedecer a Deus se somos capazes de crer nEle.

Nossa fé se manifesta em obras. Tiago escreveu: “Porque, assim como o corpo sem espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta” (Tiago 2:26). São as obras que autenticam a nossa fé, se não houver obras não existe fé.

Nossa crença deve estar baseada na Soberania de Deus, que controla o passado, o presente, e o futuro. E que dentro dessa soberania Deus nos fortalece ao ponto de sermos capazes de termos vitória sobre a carne, o mundo, e o diabo.

Afinal, tudo resultará para a glória de Deus.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

O Cristianismo e o Medo - Parte 1

O que é o medo?

É algo irrazoável, pois para quem o sente, mesmo tendo provas de que aquilo que eles temem não pode acontecer, ainda assim eles o sentem.

É também uma coisas inexplicável. Há pessoas que não podem ficar sozinhas por causa do medo, mesmo sendo convencidas pela lógica de que estão protegidas e seguras.
O medo é um sentimento que tira as pessoas do eixo e interfere no equilíbrio psíquico. Mas ele deve ser encarado como um sinal de alerta. Sinal de que se precisa de ajuda.

O apóstolo Paulo declarou: “Porque Deus não nos deu o espírito de temor” (2 Timóteo 1. 7).

Existem muitas pessoas dirigidas pelo medo. São temores que provavelmente são resultados de experiências traumáticas ou de expectativas fantasiosas. Ou também do crescimento em um lar extremamente severo. Outras sentem medo por resultado de uma predisposição genética. Mas, independente disso tudo, independente do que tenha causado tal situação, pessoas dirigidas pelo medo frequentemente perdem grandes oportunidades; pois elas tem medo de correr risco e por isso mesmo, comportam-se de maneira cautelosa.

O medo é como um parasita que rouba a vitalidade da vida normal. Não é uma fraqueza normal, ele é uma influência real e poderosa. Por isso lidar com o medo envolve muitas emoções juntas como: a superação, o desafio e a preservação.

Precisamos, porém saber que existem dois tipos de medo, o que impulsiona e o que paralisa. Pois o medo é apenas um sintoma. Ele pode nos deixar alertas, avisando para nossa autopreservação a respeito de nossos limites físicos e psicológicos. Ou pode nos paralisar, impedindo a pessoa de prosseguir. 

Portanto o medo pode nos fazer tanto o bem como o mal.

Leia Também:
O Cristianismo e o Medo – Parte 2
O Cristianismo e o Medo – Parte 3

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Entre a Casa e a Escola

Entre a casa e a escola, não se pode negar...
Como eles crescem muito rápido!
São tempos que não conseguimos parar...
E como desejamos fazê-los parar.

Quinze anos se passaram... Parece que foi ontem.
Brincadeiras de menino... Como é bom!
Coloca-lo as costas e passear pela rua... Pela praia...


Mas um dia sairá de casa, levando entre suas coisas
Um pedaço de minha vida que jamais voltará.

Enquanto isso, na minha imperfeição,
Quero dar-lhe tantas coisas...
Quero dar-lhe amor e atenção
E ensinar-lhe a cada dia sua importância e seu valor.

Além de tudo quero cuidar de seu coração...

Pois como diz as Escrituras:
“Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que Ele dá” (Salmos 127. 3).

Dedicado a meu filho Lucas.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Geração Sem Rumo

Em que se baseiam as leis humanas a não se nas próprias ambiguidades humanas. Isso significa que às vezes existe a possibilidade de uma mensagem ter dois sentidos. Pois os humanos julgam outros homens a partir de si mesmos e na maioria das vezes isso tem a ver com a imagem. Se esquecem porém que muitas vezes a imagem é ilusória.

Não é raro às vezes em que a imagem se permite apresentar de modo a não ter que representar nenhuma verdade. Apresenta-se apenas como um reflexo, um engano.

Foi exatamente quando a Palavra (João 1.1-11) ganhou imagem, densidade, história, e aparece aos olhos, que Ele é humilhado, desprezado, injuriado, julgado, condenado e morto.

Agora imagine você, que imagem você tem passado para os outros? Imagine se você pudesse saber o que seu amigo pensa sobre você no coração. Você seria capaz de sobreviver com isso? Sei que muitos morreriam de depressão.

Agora pense um pouco sobre isso: Brigas, bebedeiras, rebeldia. Por que os jovens de hoje vivem uma crise de valores e colocam em risco o próprio futuro? 
          Existe um texto bíblico em que Jesus encontra um homem cego. Jesus está no meio de uma multidão, Ele toma o cego pela mão e sai para fora da multidão. Ele se retira da multidão para curá-lo. 


Depois disso, Jesus passa saliva nos olhos do homem, Ele passa o dedo com saliva para limpar a sujeira primeiro. Assim como uma mãe, quando limpa, com carinho, os olhos de seu filho, passando a mão na boca para molhar o dedo e aí tirar qualquer sujeira.

Quando Jesus pergunta se ele vê algo ele dá uma resposta, no mínimo imbecil: “E, levantando ele os olhos, disse: Vejo os homens; pois os vejo como árvores que andam” (Marcos 8: 24).

E aí está você se perguntando o que tem tudo isso haver uma coisa com a outra.

Pois tem tudo haver.

Muitas vezes nós estamos na mesma condição do cego a quem Jesus levou para um lugar separado. Vemos as pessoas como árvores que andam. Não as vemos como um filho ou uma filha de Deus, como alguém a quem Deus criou e ama, por quem Ele deu Sua vida. Olhamos só para os defeitos, julgamos e até condenamos. Agimos assim, pois vemos apenas a imagem.

Geração Sem Rumo - Continuação

Quando jovens e adultos se envolvem com brigas, bebedeiras e rebeldia, a ponto de destruir seus relacionamentos com outras pessoas isso é sinal de graves problemas.

Pode significar que só envergam miragens, imagens desfocadas e enganosas.

Nessa hora Jesus pode está querendo agir como fez com o cego... Levá-los a um lugar reservado. 

Jesus percebeu que o homem não estava curado por completo então, impôs-lhe novamente as mãos. A Bíblia nos ensina que: “... o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (1 Samuel 16: 7).
Jesus queria dar uma visão perfeita ao homem.

Pessoas sem foco, sem direção, que enxergam apenas imagens, não é raro de se encontrar. Também não é raro andarmos por aí sem perceber tudo o que está ao nosso redor. Muitas vezes não enxergamos como Deus está ao nosso lado, cuidando de nós, das nossas coisas, Ele se preocupa muito conosco. Ele nos abençoa todos os dias, apesar dos problemas.

Existe um ditado que diz: “O pior cego é aquele que não quer enxergar”.

Jesus passou saliva nos olhos do homem, isso é sinal de intimidade. Deus se torna íntimo de nós, limpando a sujeira que a vida, muitas vezes coloca sobre nós. Mas Jesus é aquele que nos pega pela mão, e quer nos conduzir.

Não será você também um cego? Não digo cego no sentido como o do texto, mas cego para as coisas ao redor. A natureza, ao cônjuge, aos filhos, ao amor, ao afeto, ao Evangelho...

Jesus curou por completo aquele homem. Será que não precisamos de Jesus para nos curar também hoje?

 Fica isto para sua meditação.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Coisas Que A Gente Não Tira Do Coração

Importante na vida não é ter!
O importante na vida é ser! É ser amigo, ser gente, ser feliz, ser família... Mas é ridículo como as pessoas deixam de gostar de alguém só porque esse alguém não faz o que elas querem.
Vivemos dias em que os olhos estão voltados para o celular, um objeto inanimado; criando seres sem vida e sem ânimo.
Nas redes sociais circula uma foto com os seguintes dizeres: “Diz a lenda que se você parar de olhar para o celular e erguer os olhos, você verá árvores, pessoas, céu, pássaros... Tente pra você ver".
Bem apropriado para esses dias de proliferação de seres inanimados.
Diante disso, vemos proliferar também, o consumo de álcool e drogas. Que muitas vezes começam em casa. Através de familiares. Principalmente em relação ao álcool, pois a embriaguez do adolescente, muitas vezes está associada a uma embriaguez do pai e à aceitação social do consumo do álcool.
Todos sabem a importância que têm a educação da família na vida do adolescente. E ela deve ser muito forte, pois, o adolescente quer pertencer a uma turma, é o chamado a lógica do grupo, ele deseja ter um lugar ao qual pertencer, é uma fase de definição, e o desejo de se desvincular dos pais.
Dependendo do grupo ao qual esse adolescente deseja pertencer, pode estar incluído aquele que se baseia no controle de espaço pelo uso da força, que consome álcool em excesso e se alimenta da violência, pois quem exagera na bebida pode ficar mais agressivo.

É quando os erros dos adultos começam a aparecer. Ao invés de mostrar amor, começam a parar de gostar... “só porque esse alguém não faz o que eles querem”.
Carl Jung quase acertou ao dizer que: “Ao que nos compete discernir, o único propósito da existência humana é jogar um pouco de luz nas trevas do mero ser”.
      Na verdade o propósito do homem é adorar a Deus. E ao adorá-Lo, ele atende ao chamado para o qual Deus o chamou. O chamado é para ter Deus no coração: “Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” (João 8.12).

Coisas Que A Gente Não Tira Do Coração - Continuação

Quando o Evangelho entra no coração de uma pessoa, essa passa a ser útil à vida. Da mesma forma como um pai é útil a sua família e aos seus filhos. Pois aquilo que essa pessoa traz na sua bagagem existencial, do seu caminhar na vida, somado as suas novas aquisições, são como a dispensa de uma casa onde o pai tem guardado um depósito de coisas novas, recém-adquiridas, como possui também coisas antigas que podem vir a ser necessárias em determinadas circunstâncias.
E quando essa “Luz” é ensinada dentro de casa, os adolescentes aprendem a se relacionar com o mundo com uma visão mais reflexiva das coisas que acontecem a sua volta, com um senso crítico. Além de internalizar os aspectos morais e religiosos que lhes são ensinados.
A doutora em psicobiologia do Cebrid, Zila Vander Meer Sanchez, em sua tese de doutorado escreveu sobre a importância de práticas religiosas na recuperação de dependentes químicos. Ela destaca: “A família, a religiosidade e a informação podem ser papel importante ao lidar com o problema”.
O CEBRID é o Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas, que funciona no Departamento de Medicina Preventiva da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo).
Que beneficio trará então o ensino do Evangelho para a sociedade?
Uma consequência social importante, pois acarretará na perpetuação do código moral de uma sociedade. E em parte, será responsável pelo conservadorismo nas estruturas sociais. Além de melhorar a vida emocional, psíquica e espiritual não somente do adolescente, mas também dos seus familiares mais próximos, ou seja, pais e irmãos.
Os ensinos do Senhor Jesus Cristo podem em muito, ajudar a fazer com que as pessoas vivam uma vida melhor aqui e agora.
O importante na vida não é ter! O importante na vida é ser! É ser amigo, ser gente, ser feliz, ser família... Mas é ridículo como as pessoas deixam de gostar de alguém só porque esse alguém não faz o que elas querem.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

O Lenhador e a Raposa

Certa vez, alguém disse: "Quando o coração fala ao coração, não há mais nada a dizer!"

Isso significa dizer que precisamos confiar em nosso sentimento. Que quando gostamos de alguém e temos confiança precisamos retribuir o sentimento e confiar em nosso coração.

Não podemos nos deixar levar pela cabeça dos outros.
Aqui está um texto para reflexão:


Um lenhador acordava todos os dias às 6 horas da manhã e trabalhava o dia inteiro cortando lenha, só parando tarde da noite. Ele tinha um filho lindo de poucos meses e uma raposa, sua amiga, tratada como bichano de estimação e de sua total confiança. Todos os dias, o lenhador — que era viúvo — ia trabalhar e deixava a raposa cuidando do bebê. Ao anoitecer, a raposa ficava feliz com a sua chegada.

Sistematicamente, os vizinhos do lenhador alertavam que a raposa era um animal selvagem, e, portanto, não era confiável. Quando sentisse fome comeria a criança. O lenhador dizia que isso era uma grande bobagem, pois a raposa era sua amiga e jamais faria isso. Os vizinhos insistiam: Lenhador, abra os olhos! A raposa vai comer seu filho. Quando ela sentir fome vai devorar seu filho!

Um dia, o lenhador, exausto do trabalho e cansado desses comentários, chegou a casa e viu a raposa sorrindo como sempre, com a boca totalmente ensanguentada. O lenhador suou frio e, sem pensar duas vezes, deu uma machadada na cabeça da raposa. A raposinha morreu instantaneamente.

Desesperado, entrou correndo no quarto. Encontrou seu filho no berço, dormindo tranquilamente, e, ao lado do berço, uma enorme cobra morta.


Isso nos faz refletir em quanto precisamos confiar em nosso sentimento e nas pessoas que gostamos. Existe nesse mundo muitas pessoas com maldade no coração querendo destruir qualquer tipo de relacionamento.

O amor implica em depender. É dependência, é estar na mão da outra pessoa. Amar implica em confiar no outro.

Por isso o apostolo Paulo escreve aos corintos: “O amor é paciente e benigno, não arde em ciúmes; o amor não se ufana, não se ensoberbece; O amor não é rude nem egoísta, não se exaspera e não se ressente do mal. O amor não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade. Está sempre pronto para perdoar, crer, esperar e suportar o que vier... O amor jamais acaba” (1 Coríntios 13. 4-8).  

Essa é a essência do amor. Confiar um no outro é essencial para um amor maduro. Pois tudo o que o Amor pede é sinceridade, dedicação e entrega. Uma entrega que só é possível quando se confia no ser amado.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

O Sentido da Vida

Haverá um dia em que a maldição do pecado será eliminada.
Quando esse dia chegar não haverá mais pecado, tristeza, doença, morte, dor, lamento: “Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas” (Apocalipse 21. 4).
Houve um tempo na humanidade em que a maldição e o pecado não existiam. Isso aconteceu antes da queda de Adão. Era um tempo em que o homem era criatura social (Gênesis 2. 18-25), em que havia trabalho, pois Deus lho deu (Gênesis 2. 15), uma época em que Deus tinha comunhão com o homem (Gênesis 3. 8), uma época em que Deus deu domínio ao homem sobre a terra (Genesis 1. 26).
No relato bíblico no Evangelho de Lucas, encontramos algumas mulheres indo até ao túmulo onde Jesus tinha sido colocado após sua morte. Ali elas tiveram o encontro com um anjo que lhes perguntou: “Por que buscai entre os mortos ao que vive?” (Lucas 24. 5). Elas estavam procurando o homem certo no lugar errado. E qual seria o lugar mais seguro para encontramos a resposta sobre o sentido da vida?
Não é preciso muito esforço mental para responder a isso, pois o lugar mais seguro para a resposta sobre o sentido da vida se encontra no livro do Autor da vida.
A Bíblia nos diz que o mundo por sua própria sabedoria, jamais conheceu a Deus (1 Coríntios 1. 21). Isso é o equivalente a dizer que por seus próprios meios e usando a razão pura, ninguém chega ao conhecimento de Deus.
Podemos usar de duas formas para descobrir o sentido da vida. Uma delas é usar de especulações, investigar por meio do raciocínio e fazer conjecturas e suposições que não são baseadas em fontes concretas. A outra forma é buscar a resposta direto do Autor da vida. E essa resposta está exposta em sua revelação, que se chama a Bíblia Sagrada.
Deus não é somente o Autor da vida, Ele é a Fonte da vida. E com isso Ele é capaz de acrescentar realização à nossa vida. Ele criou o ser humano à Sua imagem (Gênesis 1. 26).
Mesmo com a queda e toda a consequência que isso trouxe ao mundo, Deus ainda assim tomou a iniciativa para que o ser humano tenha comunhão com Ele. Sua graça foi demonstrada ao mundo, o seu presente a todo ser humano foi enviar Seu Filho Jesus Cristo para que através Dele, o homem voltasse a ter comunhão com Deus (1 Timóteo 2. 5). E a Bíblia diz que Ele virá outra vez, para restaurar a comunhão total com a humanidade. Neste tempo, todos que creem herdarão todas aquelas coisas que foi mencionado no início deste texto, Deus habitará com eles e eles serão Seus filhos (Apocalipse 21. 7).

Glory To The Lord - Don Moen


Glória ao Senhor
Don Moen

Quem detém os céus em suas mãos
Quem fez as estrelas pela palavra do Seu poder
Que colocou o espírito do homem
E faz com que toda a terra grite glória

Glória ao Senhor, adorá-Lo
O Deus da nossa salvação
Glória ao Senhor, honrá-Lo
Ele reina, Ele governa as nações
Ele é justo e digno
Para ser adorado e adorado
Levantar suas vozes e dar glória ao Senhor

Quem detém o justo pela mão
Que é o caminho nesta hora maravilhosa
Que mexe com o coração de um homem
E as causas dos santos clamar glória

Glória ao Senhor, adorá-Lo
O Deus da nossa salvação
Glória ao Senhor, honrá-Lo
Ele reina, Ele governa as nações
Ele é justo e digno
Para ser adorado e adorado
Levantar suas vozes e dar glória ao Senhor

Glória ao Senhor, adorá-Lo
O Deus da nossa salvação
Glória ao Senhor, honrá-Lo
Ele reina, Ele governa as nações
Ele é justo e digno
Para ser adorado e adorado
Levantar suas vozes e dar glória ao Senhor

Glória ao Senhor, glória ao Senhor.