Páginas

terça-feira, 22 de março de 2016

O Concerto da Redenção – Soteriologia – E.T.

 Haveria Deus deixado todo o gênero humano perecer no estado de pecado e miséria? A Bíblia relata que não.

Encontramos na Bíblia um plano de concerto, se preferir, um pacto para salvar o homem por meio de um Redentor. E este pacto foi realmente feito.

As partes contratantes desse concerto é o Pai e o Filho: “Todo o que o Pai me dá virá a mim” (João 6. 37).

Esse Redentor se tornaria substituto do homem, sofreria a penalidade de seus pecados, cumpriria todas as exigências da lei de Deus, justificaria, isto é, absolveria o pecador sob a condição da fé, o restauraria ao favor de Deus, o santificaria completamente e o glorificaria eternamente.

Este é um concerto feito na eternidade, mas que se realizou no tempo.


A primeira vez que ele aparece foi por ocasião da queda quando Deus faz a promessa de um Redentor.

A Graça é o resultado do concerto de redenção entre o Pai e o Filho, pois a graça é o concerto entre Deus e o homem.

O que deve alegrar o crente é que o plano de salvação é sempre apresentado como um concerto. Nele há os contratantes, as condições, as promessas e as penalidades.

Outra coisa, o pacto da graça toma lugar do concerto das obras no qual o homem fracassou pela queda.

Uma coisa muito importante: o concerto é o mesmo em todas as dispensações, na patriarcal, na mosaica e na cristã.

Deus fez uma promessa a Adão, lhe prometeu um Redentor, e foram instituídos ritos e sacrifícios para pré-figurarem a expiação.


Em todas as dispensações a condição é a mesma: a fé num Redentor vindouro. Essa fé tinha a mesma função e valor da fé num Redentor que já veio.

Portanto, Cisto é o Redentor em todas as dispensações.

Isso é o que vale dizer que os santos do Velho Testamento foram salvos, não pelas obras da lei, mas pela fé num redentor vindouro.

Veja o que Paulo escreve como prova do significado simbólico dos sacrifícios: “Cristo nossa páscoa, foi imolado por nós” (1 Coríntios 5.7).

Paulo diz ainda: “Por que, se a herança provém da lei, já não provém da promessa? Mas Deus pela promessa a deu gratuitamente a Abraão” (Gálatas 3.18).

segunda-feira, 21 de março de 2016

Confissões de Fé – Parte 3

Sei que o assunto deve parecer chato para alguns e até mesmo fora de moda. Mas é uma forma de manter a pureza da doutrina cristã.

O apóstolo Pedro nos diz para explicar a quem nos perguntar qual a razão da nossa esperança (1 Pedro 3. 15). A nossa confissão dá testemunho de nossa fé. E serve como defesa aos ataques de heresias das quais muitas igrejas tem se deixado dominar, devido a sua vulnerabilidade, por não possuir uma confissão de fé.

Esta seção é para auxiliar tanto a cristãos como os incrédulos a entende aquilo em que cremos. E útil também para corrigir pastores e mestres, caso eles estejam se desviando da fé.

Ajuda ainda a sinalizar aos cristãos a analisarem o que está sendo ensinado nas igrejas, como faziam os bereanos: “Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo.” – (Atos 17. 11 - NVI).

Portanto é útil como meio de estudo, testemunho da fé, meio de manter a pureza da doutrina e defesa contra os ataques de heresias e outras religiões.


Breve Catecismo de Westminster

PERGUNTA 5. Há mais de um Deus?

RESPOSTA. Há só um Deus, o Deus vivo e verdadeiro.

Referências: Dt 6.4; 1Co 8.4; Jr 10.10; Jo 17.3.

PERGUNTA 6. Quantas pessoas há na Divindade?

RESPOSTA: Há três pessoas na Divindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, e estas três são um Deus, da mesma substância, iguais em poder e glória.


Referências: Mt 3.16-17; 28.19; 2Co 13.13; Jo 1.1; 3.18; At 5.3-4; Hb 1.3; Jo 10.30.

Sinta-se Melhor: Farinha de Maracujá

Desde jovem tenho a convicção que Deus colocou na natureza tudo aquilo que nos ajudará a ter uma boa saúde e bem estar. Quero compartilhar com vocês aquilo que tenho aprendido sobre esse assunto.

O poder da oração para a cura de enfermidade é atestado pela Palavra, pelo testemunho de várias pessoas e também pela ciência, pois proporciona disposição e bem estar físico.

Neste quadro quero apresentar mais uma forma de você se sentir bem.


Que tal além de fazer aqueles exercícios para perder aqueles “quilinhos extras”, você experimentar a farinha da casca de maracujá que se revelou nos últimos anos.

Ela contém contem substâncias emagrecedoras, ajuda a baixar os níveis de açúcar no sangue, ajuda a diminuir o nível de colesterol, a melhorar o funcionamento do sistema gastrointestinal e também é um bloqueador de gordura, o qual impede ou interrompe a absorção da gordura presente nos alimentos, levando à perda de peso.

Segundo estudo realizado por Armando Sabaa Srur, químico e pesquisador da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a farinha contém 20% de uma fibra solúvel chamada pectina. Essa fibra é encontrada em grande quantidade na parte branca da entrecasca da fruta, que ao ser ingerida forma uma espécie de gel não digerível proporcionando a sensação de saciedade.

Além de regular a produção de glicose, é também bastante eficaz no controle e prevenção do diabetes, como também ajuda a reduzir a ação do colesterol, pois se liga à gordura, fazendo com que ela seja eliminada no final da digestão.

Encontra-se na farinha de maracujá quatro nutrientes que merecem destaques, são eles: a niacina (vitamina B3), que auxilia na produção de hormônios, melhora a ansiedade, ajuda no crescimento das crianças e protege as paredes do estômago; o ferro, que ajuda na prevenção da anemia e dá energia; o cálcio, que auxilia nos ossos e dentes e o fósforo, que dá uma melhora na memória, atuando na oxigenação das células e na circulação. É um excelente bloqueador de gordura o qual impede que o organismo absorva parte desse nutriente presente nos alimentos. É isso que ajuda a emagrecer.

Segundo a nutróloga Daniela Hueb, quando a pectina chega ao estômago, ela se transforma numa espécie de gel não digerível, provocando a sensação de saciedade. Com isso, a pessoa se sente bem alimentada com uma porção menor de comida.

Outro benefício é que a pectina também promove uma faxina no organismo, ajudando a eliminar as toxinas, que, acumuladas, prejudicam o funcionamento dos órgãos e, com isso, desequilibram o metabolismo.

 Com a ingestão de no mínimo 2 litros por dia de água, se facilita a ação desintoxicante da pectina, portanto, é importante beber mais água.

A dose indicada  é de uma a duas colheres de sopa, diariamente, 30 minutos antes das principais refeições.

Um estudo realizado pela Universidade da Paraíba demonstrou que 17 mulheres que tinham o colesterol alto, depois de 70 dias consumindo a farinha, elas não só tiveram as taxas de LDL, o colesterol ruim, reduzidos como também perderam peso.

A farinha de maracujá pode ser encontrada em alguns supermercados e em lojas de produtos naturais.

Não existem contraindicações ao consumo desse alimento, apenas indicasse seguir uma dieta equilibrada para ter melhores efeitos.



sexta-feira, 11 de março de 2016

Quando A Tristeza Bate A Nossa Porta.

Cedo ou tarde a tristeza bate à nossa porta.

São varios os acontecimentos que cruzam o nosso viver: uma tragédia, uma perda significativa ou a chegada da morte. Essas coisas são fatos que estão presentes em nosso caminhar. Fazem parte do dia a dia de cada um de nós.

Muitas são as causas da tristeza.

Elas podem ser de ordem física, emocional, mental, social, econômica, morte e também espiritual. E em época como essa em que vivemos em nosso país, como muitas pessoas perdendo o seu emprego, preços elevados, inflação, noticias de corrupção em todos os setores, a probabilidade da tristeza aumentar é muito grande.

O Senhor Jesus levava essa questão muito a sério. Nos Evangelhos encontramos o quanto Ele se preocupava com isso ao escrever o amor em seus braços.

Nos Evangelhos encontramos Jesus carregando sobre si as nossas dores, as nossas enfermidades e nossas tristezas. Pois foi na cruz que Ele partilhou conosco de nossas tristezas.

Devemos entender, porém que, há momentos que Deus permite a tristeza. Ela muitas vezes serve para nos conscientizar que a alegria existe. João no seu evangelho diz que: “... mas a vossa tristeza se converterá em alegria.” (João 16.20).

Isso aconteceu de fato na vida dos discípulos. Pois na cruz, Jesus partilhou de suas tristezas, mas, na ressurreição, Ele trouxe alegria aqueles homens e mulheres.


O apóstolo Paulo escreve: “E outra vez diz: Alegrai-vos” (Romanos 15.10).

Olhe que Paulo não tinha uma vida fácil não. Ele não ficava dentro de um escritório monitorando um grupo de missionários, nem tinha um jatinho para ir de um lugar a outro. Ele andava a pé, algumas vezes ia a cavalo e outras ocasiões de navio. Era calor frio, sol ou chuva. Muitas vezes foi preso em prisões. Açoitado algumas vezes. Mas apesar de tudo isso ele motivava as pessoas dizendo “Alegrai-vos, alegrai-vos sempre no Senhor”.

Tudo isso que eu escrevi até agora pode também se uma realidade para você. Mesmo nos momentos obscuros, nas situações mais deprimentes, quando estiver no meio das angústias, das tensões, quando se sentir desesperado ou frustrado, saiba que você pode contar com a presença do Espírito do Senhor a lhe fortalecer e lhe concede a Sua paz.

Deus tem permitido que o seu povo vivencie momentos dramáticos e de tristeza. Isso ajuda a aperfeiçoa-los, através da experiência. Mas com Ele nos fortalecendo e nos concedendo a Sua paz podemos nos alegrar no Senhor.

A alegria no Senhor é a nossa força!

Orar e Ação

Tem gente que ora e nada faz, tem gente que faz e não ora. E tem gente que faz da oração a sua ação.

Tem gente que ora e logo vem o amém. Outros oram e levam uma “eternidade”.

Mas a oração não é qualificada pela sublimidade de suas palavras, e nem tão pouco pela sua longevidade.

A oração é um diálogo que nos eleva à presença do Pai. Deve ser sincera, devemos nos apresentar quebrantados, e prontos a aceitar a vontade Dele: “Seja feita a Sua vontade assim na terra como no céu” (Mateus 6.10).

Já Estou Protegido

Certo senhor entrou no quarto onde estava sua mulher passando as roupas da família. Ele se dirigiu ao computador, sentou-se, ligou o aparelho e ajeitou a cadeira.
Ao ouvir o barulho da cadeira, sua esposa disse:
- Cuidado João. A internet está cheia de vírus – ela falou sem se virar para ele.
- Não se preocupe Maria. Já estou preparado – respondeu ele com a voz abafada por uma mascara que ele estava usando.

Coitado do João! Estava enganado sobre a forma de vírus que sua esposa estava falando. Vestiu-se de uma mascara para ficar protegido dos vírus da internet.

Infelizmente tem muito crente como o João. Estão enganados em elação a sua fé em Jesus.


Jesus não é trampolim para a prosperidade de ninguém, nem tampouco para se conseguir bênçãos materiais.

O profeta Jeremias escreveu em seu tempo: “Ovelhas perdidas tem sido o meu povo, os seus pastores as fizeram errar, para os montes as desviaram; de monte para outeiro andaram, esqueceram-se do lugar do seu repouso.” (Jeremias 50.6).


Assim tem sido também em nosso tempo. Muitas ovelhas sendo desviadas do lugar de descanso em Deus para se enveredar pelos montes do invencionismo bizarro da natureza humana e da crueldade dos pastores que não conhecem teologia, não tem conhecimento das Escrituras, e fazem tudo conforme o seu próprio entendimento.

A Religião dos Bis-K-teiros 3

“A Igreja é um corpo, não um negócio. É um organismo, não uma organização. Está viva.”, esta frase é do pastor Rick Warren. Penso que reflete bem o que deve ser a Igreja.

Mas infelizmente as igrejas têm pregado de forma a parecer o contrário. Aqueles que entram em uma instituição chamada igreja, sejam eles membros dela ou não, são tratados como meros consumidores. Pois lhes são oferecidas verdades, e não a Verdade.

Hoje o conceito de verdade absoluta não é bem aceito. Isso torna difícil admitir a culpa. Numa era de varias verdades, o que fazemos é resultado dessas verdades, e não daquilo que a Bíblia chama de pecado, que é uma verdade absoluta.

A questão é que sem admitir culpa, não há como a graça de Deus se manifestar!

Existe dentro de muitas igrejas hoje, grande atratividade marqueteira para atrair “gente” para dentro delas. E a concorrência é grande. Um verdadeiro show da fé.

Muitos pastores ao invés de se dedicarem ao estudo da Palavra, à oração, e à meditação. Estão cada vez mais se empenhando em ser animadores de culto.

A igreja fica cheia, mas vazia espiritualmente. Pois o que é pregado não é mais o Evangelho e sim uma técnica qualquer que funcionou em um determinado lugar e alguém tenta aplica-la também.


Mensagens que não trazem edificação, pois são pregadas por alguém que seja capaz de persuadir e não por alguém que tenha o chamado para o ministério.

O resultado disso é bem visível, telefones tocando durante a mensagem, jovens enviando mensagens através do celular, adultos com iphones acessando a internet durante o culto.

Depois vem alguém e diz que o povo não tem mais reverência. Ora, se o que está sendo pregado não trás para a pessoa a tal reverência, como ela pode tê-la?

O mesmo ocorre com o louvor. O líder tem que ficar pedindo para se levantar a mão, para fechar os olhos, para que o povo cante com mais entusiasmo. Tudo mecanicamente jogado para os “expectadores” do “show da fé”. Nada mais é espontâneo. Nada mais sai do coração. Pois o povo está vazio espiritualmente. Não há verdadeira adoração!

Hoje já não há mais membresia em muitas igrejas. Existe a frequência. Como em uma rodoviária, está sempre cheia e movimentada, mas as pessoas não são as mesmas. Sempre há pessoas diferentes. Entram e saem. Passam por ela.

A concorrência é grande! Muitas atratividades para conseguir gente. E nisso a igreja fica cada vez pior. Muita loucura, muita emotividade. Pouca espiritualidade, pouca unção.

Outras igrejas, para segurar seus membros e conseguir que outros venham, trocam suas mensagens cristocêntricas, por mensagens antropocêntricas, mesmo assim com muita cautela, que é para não assustar a “freguesia”.

Interessante é que todo pastor gosta de citar o livro do Profeta Malaquias, principalmente o capitulo 3, e os versos 8, 9 e 10, para colocar medo naquela pessoa que não dá o dízimo. Mas não diz nada sobre os capítulos 1 e 2, que falam sobre o culto sem alma e sem verdade, resultado de uma mensagem inútil, e sem vida. E o capitulo 2, que fala da maldição das bênçãos de falsos sacerdotes que caem sobre aqueles que deixam esses lhes impor a mão.

Esses dois capítulos estão no mesmo contexto do capitulo três. Mas, ninguém diz nada sobre isso.

A questão é que tanto esses líderes como sua membresia: “... antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.” (Lucas 13. 3).

“Jesus, porém, lhes respondeu: Errais, não compreendendo as Escrituras nem o poder de Deus” (Mateus 22. 29).


“Portanto o meu povo é levado cativo, por falta de entendimento” (Isaias 5. 13).


Leia também:

terça-feira, 1 de março de 2016

Buscando Sempre A Verdade


"Senhor, ajuda-me a não me impressionar com o homem, mas buscar sempre o que é a verdade"

Dentre os muitos desafios que temos que enfrentar para obtermos a realização de um novo modo de vida, está um que parece quase impossível diante a realidade que encontramos em nosso país, e no mundo. É a realidade de que todo mundo mente.