Páginas

domingo, 25 de setembro de 2011

A PARÁBOLA DA OVELHA PERDIDA

__________________________________________________________________


“Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai após a perdida até que a encontre? E achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo; e chegando a casa, reúne os amigos e vizinhos e lhes diz: Alegrai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se havia perdido.”

“¿Qué hombre de vosotros, teniendo cien ovejas, si pierde uma de ellas, no ejas lãs noventa y nueve em El desierto, y va trás la que se perdió, hasta encontrarla? Y cunado La encuentra , La pone sobre SUS hombros gozoso; y AL llegar a casa, reúne a sus amigos y vecinos, diciéndoles: Gozaos conmigo, porque He encontrado mi oveja que se había perdido.”

"Which of you is the man has a hundred sheep and loses one, does not leave the ninety and nine in the wilderness and go after the lost until he finds it? And finding it, put it on his shoulders, rejoicing, and coming home, friends and neighbors together and says to them: Rejoice with me because I have found my sheep which was lost. "

Lucas 15: 4-6
__________________________________________________________________


Como Ovelha Perdida

“Então ele lhes propôs esta parábola: Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai após a perdida até que a encontre? E achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo; e chegando a casa, reúne os amigos e vizinhos e lhes diz: Alegrai-vos comigo, porque achei a minha ovelha que se havia perdido. Digo-vos que assim haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”

Ter uma quantidade de cem ovelhas no mundo antigo representava ter um rebanho de porte médio. A variação de um pastor com um rebanho desse porte variava de vinte a duzentos animais. Um porte maior representava ter mais de trezentas ovelhas.
Portanto, reunir os amigos e vizinhos para se alegrarem por causa de um desses animais quando encontrado depois de se haverem perdido, era uma atitude bastante natural. Visto ser esse a ovelha um bem valioso.
Jesus comparou a alegria do encontro da ovelha perdida com o júbilo do céu por causa do arrependimento de um pecador.
Com isso Jesus estava mostrando que sua esperança na conversão do homem era a razão pela qual Ele se reunia com aqueles que viviam rejeitados na sociedade.
A conversão é o estado de mudança de mente. Quando aquilo que pensamos em relação ao homem, ao mundo, a nós mesmos e em relação a Deus é mudado. Quando nos arrependemos de cometer erros e injustiças, quando deixamos de nos conformar com o sistema imposto por governantes; e renovamos nossa mente preenchendo com coisas boas e saudáveis, não somente a nós, mas que reflete como bons frutos dentro da sociedade em que estamos inseridos.
Quando Jesus usa o termo: “Justos que não necessitam de arrependimento”, Ele estava de forma retórica descrevendo os escribas e os farizeus.
Jesus já havia feito uma retratação similar em Lucas 5.31, onde se afirma que alguns não necessitam de médicos. Os escribas e os farizeus acreditavam que não precisavam arrepender-se porque não se consideravam perdidos. “O sábio teme e desvia-se do mal, mas o tolo é arrogante e dá-se por seguro” (Provérbios 14: 16).
    No entanto, todos nós vivemos como ovelhas perdidas. Até que reconhecemos a voz do nosso pastor e passamos a segui-Lo: “Depois de conduzir para fora todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz” (João 10: 4).


Baseado em Lucas 15. 3-7.

sábado, 24 de setembro de 2011

Geração de Samuel

_________________________________________________
_________________________________________________

Geração de Samuel

Fernandinho

Eu faço parte de um novo tempo
Que está nascendo em minha nação
Eu sou o fruto de uma semente 2x
Que foi plantada há muito tempo atrás
Por meus irmãos.
A geração de Samuel está se levantando 3x
Em todo lugar
Geração que depõe Saul
Geração que unge Davi
Geração que depõe Saul 2x
Geração que unge Davi
Para um tempo de louvor
Para um tempo de louvor
A geração de Samuel está se levantando 3x
Em todo lugar
Geração que depõe Saul
Geração que unge Davi
Geração que depõe Saul 2x
Geração que unge Davi
Para um tempo de louvor
Para um tempo de louvor 9x


¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Uma Pequena Reflexão Sobre Joelma

____________________________________
____________________________________

Alguém me falou certa vez: “Recordar é Viver”.
Realmente é bom quando podemos recordar de coisas e fatos que encheram a nossa alma de prazer e alegria.
Deixamos que os nossos pensamentos se desliguem de tantos afazeres que nos rodeiam e voltem no tempo e no espaço.
Desta vez meu pensamento faz um vôo suave, aterrizando nas lembranças de alguém especial, Joelma. Sobrinha de minha esposa. Minha sobrinha também.
Me lembro quando ainda pequena, num dia em sua casa, ao me ver no corredor, ela correu em minha direção, me abraçou e falou: “Tio”, com um sorriso nos lábios, característica dessa jovem que agora enamorada, se casa.
Ah, como o tempo passa! Parece que foi ontem, quando ainda namorando eu parava o carro para encontrar minha amada. E muitas vezes junto de nós ia Joelma. Simpatia e alegria. Essa é minha sobrinha.
Foram tantas as vezes que favores ela nos prestou que não saberia como agradecer. Somente Deus é quem pode recompensar.
Nesse vai e vem de experiências, entrelaçamos e firmamos nossas relações. Ela que trouxe um pouco do seu riso, um tanto do seu saber. Leva também um pouco do nosso riso e do nosso saber.
Na sua nova jornada, nesse encontro, nessa união, ela leva suas indagações. Nessa vontade de aprender, de buscar soluções... aprendendo a refletir.
Aprendendo... Errando... Acertando...
Enquanto isso Joelma faz parte de nossa vida!
É o tempo passa! Corre a vida!
Lição a aprender do nosso Criador.
Paramos para dizer a você:
Felicidades no seu matrimônio!!!
Tenha as bênçãos do Senhor!


“Aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus” (Filipenses 1. 6).

____________________________________
____________________________________

HOMEM DE DEUS

--------------------------------------------------------------------------------


Como diz o apóstolo Paulo em sua carta: “Dai a cada um o que lhe é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra” (Romanos 13: 7).
Eis aqui um pastor a quem eu admiro pela sua coragem e amor pelo Evangelho. Alguém que se esforça para levar sua igreja à terra prometida, ou melhor, dizer, ao céu: “Então chamou Moisés a Josué, e lhe disse à vista de todo o Israel: Sê forte e corajoso, porque tu entrarás com este povo na terra que o Senhor, com juramento, prometeu a teus pais lhes daria; e tu os farás herdá-la” (Deuteronômio  31:7).
Coragem pois, em meio a incredulidade crescente nos dias atuais, não tem medo de falar da salvação em Jesus Cristo: “Pois, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, porque me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!” (1 Coríntios 9: 16).
Para esse pastor que aprendi admirar e amar, um grande abraço. Pastor José Luis, Homem de Deus.



Homem de Deus


Renato Suhett

Quem vê o homem de Deus
Falar das coisas do amor
Não pode imaginar
As lutas que ele enfrentou

Enquanto ele vai falando
Das coisas que o Pai lhe falou!
Faz calar no próprio peito
As dores que já passou

Homem de Deus
Chora também
Nos momentos difíceis
Como qualquer
Outro alguém

E o homem de Deus vai pregando
Pregando sem parar
Embora muitos desejem
Ver o homem de Deus se calar


-------------------------------------------------------------------------------


domingo, 18 de setembro de 2011

CRÔNICAS DA VIDA REAL

CRÔNICA DA VIDA REAL_________________________________________
_________________________________________
Minha Permanência Em
              Santa Isabel do Rio Preto - Parte 1




        Me recordo de uma situação interessante que marcou minha caminha com Jesus.
Quando estamos trabalhando fora da igreja, longe de suportes humanos e muitas vezes materiais, não temos muito com o que contar a não ser com a fé e a boa vontade dos irmãos voluntários e muita fé e esperança em Deus.
Em abril de 2001, fui designado para dirigir uma congregação em Santa Isabel do Rio Preto. É um distrito do município fluminense de Valença. Estima-se que tenha uma população de aproximadamente seis mil habitantes, fica a 57 quilômetros da sede do município, 170 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro, a 46 quilômetros de Volta Redonda e 55 de Barra Mansa.
E lá fui eu e minha família. Cheios de esperança e vontade de realizar um bom trabalho.
Na época eu tinha um Fiat Uno Miller ELX de cor vinho. Quatro portas, um bonito carro. E não me importei com a estrada cheia de buracos e sem asfalto. O que eu queria era trabalhar para Deus.
Entre Santa Isabel do Rio Preto e Conservatória, fica a Serra da Beleza, e quem passa por essas localidades, costuma escutar relatos sobre discos voadores. É um local conhecido por ser aconchegante e possuir um povo muito hospitaleiro e animado.
Graças a Deus conquistamos a simpatia dos irmãos alí e isso nos ajudou bastante.
Localizado na divisa dos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, sua principal atividade econômica é produção do leite e seus derivados.
Isso nos pudemos confirmar, pois sempre que voltávamos para nossa cidade, trazíamos muito leite.
Ficavamos hospedados numa casa localizada atrás da igreja. Fazia parte da igreja. Ao lado passava um pequeno corrêgo. As crianças eram pequenas, um estava fazendo dois anos e o outro um ano. Apesar disso, estávamos alegres por estar alí. Meu filho de dois anos gostava muito quando ficávamos alí. Ele chamava o lugar de “A Casa do Rio”.
Depois de algum tempo, num domingo, voltávamos de um trabalho evangelístico no hospital da cidade. No caminho nos deparamos com um homem montado em seu cavalo. Ele vinha correndo muito e parecia nervoso. Quando se aproximou do nosso grupo, o homem gritou: “Hoje eu mato um”. Paramos e eu perguntei ao homem porque ele estava falando aquilo. Enquanto eu falava com o homem, não percebi que os irmãos iam saindo um por um. E quando dei por mim, estava sozinho.
O homem estava nervoso e contou que seu irmão estava doente no hospital e que um grupo de crentes tinha falado que iria até lá orar por ele e não foi. Que eram um bando de mentirosos. E voltou a dizer: “Hoje eu mato um”. Bem, naquele momento só havia eu ali e se ele fosse matar alguém... eu era o único na fila.
Minha esposa chegou ao portão da igreja e me viu alí naquela situação, fiz sinal para ela permanecer no mesmo local. Falei ao homem que estivemos no hospital e oramos por muitas pessoas alí. Embora não sabendo quem era o seu irmão deveríamos ter orado por ele também.
O homem empinou o cavalo que levantou suas patas e eu me senti bem pequeno nesse momento. Parecendo possuído ele voltou a falar: “Vocês crentes pensam que podem fazer qualquer coisa. Mas são um bando de gente mentirosa”.
Nesse momento eu falei para ele: “O senhor tem toda razão. Somos gente comum mas que acreditamos em um Deus que pode curar o seu irmão. Eu estou resposável por aquela igreja alí...” “Você é o pstor dela?” – perguntou ele. “Não sou o pastor, mas estou resposável por ela. Se o senhor quiser vir a noite no culto, iremos orar pelo seu irmão e ele irá melhorar”. “Você garante isso?”, perguntou ele.
Eu aprendi que a soberania é de Deus e Ele faz acontecer o que Lhe prover quando Ele bem entender. Mas diante aquela situação a única coisa que eu pensei foi exercitar a fé: “Sim! Vamos orar juntos com o senhor pelo seu irmão”. “Está bem! Eu virei. Mas quando eu for ao hospital amanhâ e meu irmão estiver mal, voltarei aqui e matarei um’.
A noite lá estava o homem. Enquanto predicava, ele estava lá sentado e prestando atenção. Ao término, reuní os prebíteros daquela congregação e oramos pelo homem e seu irmão no hospital. Naquela noite voltei com minha família para nossa cidade.
A semana passou e me esqueci daquele acontecimento. Mas, no domingo seguinte. No culto a noite, lá estava o homem sentado bem no último banco. Quando o ví, me lembrei do acontecimento e senti certo temor. Ao término do culto ele veio caminhando até mim, os presbíteros viram ele vindo em minha direção e vieram atrás dele. Ele colocou a mão no bolso, alguns presbíteros pararam no meio do caminho. Outro correu até minha esposa e meus filhos. Vi isso tudo acontecendo mas continuei ali a espera do homem. Mas confesso, com certo temor.
 O homem chegou e disse: “Estive no hospital como falei que iria fazer. Quando chegueii lá encontrei meu irmão sentado e se alimentando. Ele falou comigo... estava bem... ele falou comigo. Você não mentiu prá mim. Quero que você ore por mim”.
         Esse é nosso Deus, que usa seus filhos para realizar milagres na vida de outros que necessitam de sua graça. “E Deus pelas mãos de Paulo fazia milagres extraordinários” (Atos 19.11).

_________________________________________
_________________________________________

CRÔNICAS DA VIDA REAL

----------------------------------------------------
-----------------------------------------------------
Minha Permanência Em
             Santa Isabel do Rio Preto – Parte 2



          Ainda falando de minha experiência na caminhada com Jesus, descobri que embora preparado teologicamente, estava formado em Bacharel em Teologia há quatro anos, nem sempre aquilo que preparamos para um sermão é o que as pessoas necessitam ouvir.
         Tinha passado a semana toda na tentativa de preparar um bom sermão. Mas todas as vezes que eu o lia, Deus me falava: “Não é isso”. Fiz muitos rascunhos e ia deixando de lado, pois ouvia sempre a mesma voz que me dizia: “Não é isso”. Quando chegou sexta feira eu estava angustiado, não tinha nada preparado para domingo. Chegou sábado e nada. Ministrei o estudo da escola dominical e até aquele momento não tinha a mensagem para o culto. Eu ficava cada vez mais angustiado.
As seis e meia da tarde, após tomar o banho para descer para a igreja, Deus me mostrou o texto. Era tudo o que eu tinha. Não ouve tempo para buscar dicionário bíblico, concordância bíblica ou fazer alguma exegese do texto.
O culto começou e eu sentado lá na frente, por dentro estava angustiado pois não  sabia bem o que iria dizer. O último louvor estava sendo cantado e eu orei: “Seja como o Senhor quiser”. Prediquei. Enquanto ministrava, vi uma jovem chorando, varias vezes ela enxugou as suas lágrimas. Quando terminei, chamei um presbítero e uma irmã para juntos falarmos com aquela jovem.
Entendi porque Deus não permitiu que eu preparasse o sermão. Ela me disse: “Tudo que você falou serviu para o momento que eu estou passando”.
Quando permitimos que Deus fale através de nós, nossa mensagem pode atingir corações aflitos e necessitados. “Segui o amor; e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar” (1 Coríntios 14:1).
Não que o meu preparo de sermão não o fosse fazer, mas para aquela situação o que eu pretendia dizer, não iria servir para a aflição daquela jovem.
São coisas que acontecem quando estamos dependentes somente de Deus. Sem a pretensão de acariciar o ego de alguém. Sem o ritualismo religioso que criamos quando ficamos focados somente dentro de quatro paredes. “Lembraram-se então os seus discípulos de que está escrito: O zelo da tua casa me devorará” (João 2:17).
Na minha permanência em Santa Isabel, muitas coisas aconteceram, mas esse fato teve um significado especial em minha vida. Foi o meio que Deus utilizou para que eu conhecesse mais dEle. Entendesse a necessidade que eu tenho dEle ministrando primeiro a mim e depois através de mim. Que embora minha capacidade intelectual e zelo pela Palavra me ajudem a ministrar, ela não significará muita coisa se dentro de mim não houver uma fonte de onde flui um rio de água viva (João 7: 38).

---------------------------------------------------
-----------------------------------------------------

Você é o Melhor de Deus

“Todos os que creram estavam juntos...”

A Bíblia ensina que somos criados à imagem de Deus. Que no princípio tudo era muito bom e perfeito. Mas com o tempo o homem na sua liberdade, decidiu pecar e por causa disso se fez maldito e o seu pecado o separou de Deus.
Mas pelo amor que Deus tem pelo homem, a criação que a Bíblia diz ser a menina dos olhos de Deus. O Senhor decidiu restaurar a comunhão entre o homem e Ele. Para isso foi preciso que Deus se manifestasse através de seu filho Jesus Cristo. Que em forma humana esteve entre nós e ensinou que é através da fé nEle que podemos voltar a nos relacionar novamente com Deus, numa comunhão perfeita. Onde somos recebidos como filhos que voltam novamente para casa, depois de uma experiência muitas vezes não satisfatória.
Mas para aquele que recebe a Cristo em sua vida como Senhor e Salvador, esse que aceitou nascer de novo e passou a ser filho de Deus, se alegra, pois sabe que não há mais condenação para sua vida.
Além disso, aquele que aceita Jesus, passa a fazer parte da família que Deus está separando para serem adoradores.
Seja bem vindo à família de Deus!!!
Sua vida nunca mais será a mesma, agora que nos convertemos, tornamo-nos filhos e filhas de Deus (João 1. 12). Pertencemos à sua família. Somos recriados à Sua imagem. Nascemos de novo. Estamos em comunhão com Deus. Isso mesmo, o novo nascimento é um milagre. Quando você vem a Cristo você é mudado, você é transformado.
Fazer parte dessa família é um privilégio, pois, essa família é uma família feliz. Nossos problemas e nossas dificuldades não têm conseguido sufocar nossa alegria.
Essa é uma boa razão para não abandonarmos nossa congregação, “como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros” (Hebreus 10: 25) a entender que tornar o evangelho uma religião solitária está na verdade, destruindo-o.
O Evangelho é inclusão e não exclusão. É união e não desunião. É paz e não guerra. É amor e não desamor.
Você é o melhor de Deus!
    Não abandone a sua congregação. Aja a altura de quem foi transformado. O plano de Deus é que cada um de nós descubra esse fato, e construa bons frutos enquanto vivemos por aqui.

Baseado em Atos 2. 4.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Quero Ficar Juntinho de Você

_______________________________________________________

“Eles, porém, o constrangeram, dizendo: Fica conosco; porque é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles”

Num domingo após a escola dominical, estávamos voltando para casa. Dentro do carro, tentávamos convencer nossos filhos a participarem da Escola Bíblica de Férias. Eles estavam um tanto relutantes nesta decisão.
Usamos um argumento de que eles precisavam começar a sair sozinhos e acostumarem a ficar longe de nós, pois não iremos existir para sempre junto deles. Nosso tempo está se acabando.
Foi quando a resposta do mais novo constrangeu a mim e minha esposa. Ele disse: “É por causa disso que temos que ficar juntinhos, para aproveitar um pouco mais”.
Lembrei-me dos discípulos de Jesus que iam pelo caminho para Emaús: ”Quando chegaram perto do povoado para onde iam, Jesus fez como quem ia para mais longe. Mas eles insistiram com Ele para que ficasse” (Lucas 24. 28, 29).
É o desejo de estar perto de quem se ama. De quem lhe agrada. De alguém que transmite algo de bom para a alma: “Não parecia que o nosso coração queimava dentro do peito quando Ele falava na estrada e nos explicava as Escrituras Sagradas?” (Mateus 24. 32).
A mesma vontade de aproveitar ao máximo os momentos que são bons estava no coração de nossos filhos e dos discípulos. “Para aproveitar um pouco mais”.
Às vezes nos preocupamos em querer algo para uma pessoa, pensando ser o melhor para ela. Mais o que ela deseja pode ser diferente daquilo que pensamos. Às vezes o que ela deseja é somente ficar juntinho de você. Aproveitar um pouco mais de sua presença. Ouvir o que você tem para falar. Encostar-se ao seu ombro e ali ficar, sentir o seu calor.
A Bíblia diz: “Então Jesus entrou para ficar com os dois” (Mateus 24. 29). Estando junto deles, “Sentou-se à mesa com eles, pegou o pão e deu graças a Deus. Depois partiu o pão e deu a eles” (Mateus 24. 30).
Às vezes o que alguém deseja é somente isso. Compartilhar da atenção, do amor e do carinho que você pode oferecer a ela. Da mesma maneira que Jesus se solidarizou com os discípulos, podemos fazer o mesmo com aquele que deseja um pouco mais de nossa presença.

Baseado em Lucas 24. 29.

_______________________________________________________

Por Um Prato De Lentilhas

“Jacó deu a Esaú pão e o guisado e lentilhas;
e ele comeu e bebeu; e, levantando-se, seguiu seu caminho.
Assim desprezou Esaú o seu direito de primogenitura”

A primogenitura era um privilégio concedido ao filho mais velho. O pai lhe dava o privilégio de receber os bens herdados em porção dobrada. Ele ainda seria responsável em dirigir a família caso o pai não fizesse outra declaração em vida ou testamentária. Isso significa que o filho mais velho, o primogênito, receberia duas partes da herança e ainda seria o líder da família.
Quando Esaú resolveu trocar o prato de lentilhas pela sua primogenitura, ele estava abrindo mão do privilégio que ele tinha de receber duas vezes sua parte na herança de seu pai. Estava abrindo mão de liderar a família. Estava abrindo mão de valores importantes por um prato de lentilhas. Um prato saboroso, mas, que iria saciá-lo somente por alguns instantes. Sua herança pela troca de alguns instantes de prazer.
Quando deixamos de ir à casa de Deus para satisfazer um momento de prazer, estamos abrindo mão de nossa herança pelo prato de lentilhas.
Quando nos envolvemos com os prazeres da carne, estamos trocando nossa herança por um prato de lentilha.
Jesus diz: “Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira” (João 8. 44).
Existem várias coisas que nos são oferecidas para que venhamos provar. Tudo não passa de mentiras! Coisas que parecem boas, bonitas, alegres. Coisas que levam por viagens alucinantes, mas que ao final o que sobra é somente dores e tristezas. Coisas que trarão uma má digestão ao espírito.
Quando não nos firmamos na verdade, e Jesus diz que Ele é a verdade: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14. 6), corremos o risco de nos iludir com as mentiras que nos são apresentadas. Corremos o risco de trocar nossa herança de salvação, de morar com Jesus, de sermos chamados de filhos de Deus por um prato de lentilhas. De sofrer desilusões e não encontrar saída.
Mas quando resistimos ao prato de lentilhas, e não recusamos o amor que Jesus oferece, Ele nos apresenta a seu pai e confessa que somos parte da família com direito a herança: “Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus” (Mateus 10. 32).
O apostolo Paulo disse aos crentes de Colossos: “sabendo que do Senhor recebereis como recompensa a herança; servi a Cristo, o Senhor” (Colossenses 3. 24). É estando ao lado de Cristo que receberemos a herança. Como filhos de Deus seremos participantes do seu reino: “Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mateus 25. 34).
           Não troque essa herança por um prato de lentilhas.

Charco

________________________________________




“Feito isto, 
apanharam uma
 grande quantidade 
de peixes,
de modo que as
 redes se rompiam.”

Alguma vez você já fez algo escandaloso? Algo que provocou vergonha? Algo que fez provocação ao erro pelo seu exemplo?
Todos nós estamos sujeitos a isso.
Talvez você não tenha tido a oportunidade, e é por isso que não o fez.
A causa disso é o pecado. O pecado é a condição de nossa alienação de Deus. Ele afeta toda a raça humana. O pecado resulta numa rebelião contra Deus e leva à escravidão.
É como o charco, aquele barro pegajoso, aquela água parada e infectada encontrado nos brejos e pântanos. Ou a área movediça, que ao cair dentro, você não consegue sair. E quanto mais você se move mais você se afunda.
O pecado corrompe nosso relacionamento com Deus. E não somente isso, o pecado afeta o relacionamento entre as pessoas, conosco mesmo e com toda a criação.
Através de atos específicos, palavras ou pensamentos a raça humana mostra que não apenas vive uma vida de transgressão, mas, de escravidão.
Existem condições que destroem o universo mais intimo de nossa existência. E existem pessoas que o constroem.
Essa porção do Evangelho, fala de redes que se romperam. É parte do acontecimento do encontro de Jesus com Pedro e outros pescadores que voltavam de uma viagem ao mar e não tinham conseguido apanhar peixes.
Ao voltar para o mar e Jesus mandar lançar a rede, um milagre aconteceu. Pescaram muitos peixes. Foram tantos que as redes começaram a se romper.
Muitos corações são assim, não aguentam a presença de Deus e se rompem. É fácil perder de vista o que é importante. É só virar para outro lado e você morre.
O fato de estarmos dentro de uma igreja, participar de seus cultos, orar e ler a Bíblia, não irá significar muita coisa se a rede do nosso coração não estiver firme.
Como as águas infectadas do brejo, o pecado polui não somente a nós mesmos, mas, a todos os aspectos estruturais da vida humana e da sociedade.
Mas Jesus é aquela pessoa que sabe construir dentro de nós um universo de liberdade. Libertação da escravidão e nos oferece o dom da vida.
Jesus morreu numa cruz cruel. Deus o trouxe de volta e assim o Reino de Deus foi aberto para todos que se arrependerem e crerem em Jesus.
Para se conseguir sair da areia movediça é preciso algo forte e firme para se alcançar liberdade. Para sair de uma vida de pecado “O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador;” (Salmos 18: 2).


Baseado em Lucas 5:6.
________________________________________


domingo, 11 de setembro de 2011

Aparição De Um Demônio Nas Torres Gêmeas

_________________________________________



 Quem não é comigo, é contra mim;

e quem comigo não ajunta, espalha.
(Lucas 11:23)

As verdadeiras impressões que nos irão fazer agir e reagir, são aqueles que transferimos para nossa mente e lhes damos importância além daquilo que na verdade precisaria ser dada.
Muito mais prejudicial do que imagens que podemos criar em nosso imaginário, são aqueles fantasmas ou demônios que existem na vida real e que estão prontos para conspirarem contra a criação de Deus. Aqueles demônios que são contra a Palavra de Deus. Aqueles demônios que nos fazem esquecer da graça divina em Jesus Cristo.
No Velho Testamento não encontramos com muita ocorrência o termo Demônio. Entretanto quando o encontramos está relacionado em referência aos deuses pagãos.
Já no Novo Testamento a palavra usada é Diabo, vem do grego e tem como significado caluniador, acusador. A palavra Diabo pode ser aplicada tanto aos seres espirituais nas regiões celestes como aos homens que se opõem ao Evangelho.
Aquele que ao invés de ser a favor é contra. Aquele que ao invés de ajuntar e pregar o amor, espalha o terror. 


 _________________________________________

O Ataque Ao World Trade Center

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Passaram-se 10 anos daquilo que aconteceu nos Estados Unidos, em Nova York, com as torres do World Trade Center. Me lembro que na época eu e minha esposa tínhamos uma locadora evangélica. Eu estava na loja quando minha esposa chegou e me disse que algo importante estava acontecendo nos Estados Unidos. Eu fui para casa para almoçar. Quando cheguei, liguei a tv. Foi quando vi as cenas dos aviões se chocando contra as torres. Naquele instante fiquei paralisado diante a cena. Muitos pensamentos vieram a minha mente. Me entristeci e chorei.
Hoje paro e penso, o que mudou no mundo de lá para cá?
Mesmo diante as lembranças que nos são apresentadas nos documentários na tv, dos testemunhos dados por aqueles que sobreviveram ao tão terrível ataque. Não houve muitas mudanças significativas.
          Não é tão difícil de entender o porquê. Jesus nos diz no texto de Lucas 6:45: “O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, do seu mau tesouro tira o mal; pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.”
Enquanto os homens não entenderem que é preciso se arrepender de seus maus caminhos, iremos assistir a muitas guerras. Imponentes veremos o extermínio de muitos inocentes que sofrem pela crueldade absurda, cega, doentia e maligna daqueles que se sentem os donos do mundo.
Daqueles que tentam controlar pela ignorância a consciência da humanidade.
“Raça de víboras! como podeis vós falar coisas boas, sendo maus? pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.” (Mateus 12:34).



¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨