Páginas

terça-feira, 13 de outubro de 2015

O Melhor Amigo

Imagine-se acordando um dia, pensando que tudo será como normalmente é. Você se levanta, toma o seu desejum e se prepara para ir trabalhar.

O dia passa depressa, e chega a hora de você se encontrar com o mestre.

Nesse momento Ele lhe faz uma revelação que o deixará maravilhado. Pois o Senhor Jesus diz que já não somos apenas servos, mas seus amigos. Conforme aconteceu no texto de João 15.12-15.

Então Ele começa a explicar por qual motivo Ele tomou essa decisão. Ele diz que os amigos são confidentes. Que não existem segredos entre eles (João 15. 15b).

E você fica contente, pois, amigo é aquele que não abandona, mas acolhe; é aquele que sabe ouvir o nosso dilema. Amigo é aquele que se for preciso, oferece a sua própria vida!

O que de fato veio acontecer. A mais elevada expressão de amor é o auto-sacrifício, no qual nem mesmo a vida é poupada: "Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos." (1 João 3:16).


Ao nos chamar de amigos Jesus estava nos ensinando uma lição. Que o amor que se exige do crente é um amor de sacrifício próprio. Embora não muitos sejam chamados a sacrificar a própria vida, todos podem contribuir sacrificando com aquilo que possuem.

E isso me faz lembrar uma canção do compositor Sérgio Lopes, A música se chama “O Amigo”, e eu vou parafraseá-la neste momento:

Jesus nos livrou das algemas do pecado com sua própria vida.
Quando lhe falei do meu passado Ele me perdoou.
Para isso Ele teve de pagar um auto preço.
Suas mãos foram feridas, por que Ele amou muitas vidas.
E uma dessas muitas vidas era eu, e pode ser você.

Quem aqui já sentiu a dor de ser gravado em uma cruz, pagar pelos erros que não cometeu?
Quem aqui é capaz de olhar nos olhos de quem algum mal lhe fez?
Quem é capaz de sem ressentimento oferecer perdão?
Quem pode ser melhor amigo que um Senhor, que pelo servo a própria vida renunciou?