Páginas

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

A Luz Que Trás Nossa Identidade

"Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida" (João 8. 12).

Quem sou eu? De onde vim? Para onde vou? Estas são perguntas que todos querem uma resposta.

Quem sou eu? Sou alguém ou não sou ninguém? Estas são perguntas de pessoas confusas e que não tem uma identidade. O que elas vivem são reflexos de outras pessoas que elas admiram. 

A Palavra de Deus nos ensina que, nossa identidade se desenvolve na nossa relação com a reflexão, a oração e nossa devoção ao Senhor. Mas essa identidade também se desenvolve com o nosso cotidiano. É preciso viver com Deus em nossa vida de forma intensa. Era assim que Jesus vivia, Seu despertar era o Pai. Jesus abria o coração para que o Espírito Santo pudesse usa-lo, Ele deixava os canais serem abertos para que por meio Dele a graça de Deus pudesse abençoar vidas. Por isso Ele sempre acordava com a voz do Pai: "Ele desperta-me todas as manhãs" (Isaias 50. 4).

Quando nos abrimos para o Espírito Santo, deixamos vazar por meio de nós a graça de Deus a outros, no entanto, quando nos damos, recebemos de Deus uma verdadeira inundação de Sua graça para nós mesmos.

Vejamos o que acontece com Jesus: Primeiramente Ele retira-se e vai para o Monte das Oliveiras (João 8. 1). Para um lugar perto do Jardim do Getsêmani. Ali Ele passa a noite sozinho na presença do Pai e de manhã entra no templo. Levam até Ele uma mulher pecadora, e, Ele trouxe luz àquela questão perdoando a ela. Após perdoar-lhe diz: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.”


O que podemos aprender com o Senhor Jesus nesse texto?

Primeiramente aprendemos que o que somos depende do nosso tempo diante de Deus, somos o que vivemos diante do senhor. Só na presença do Senhor nossa identidade sadia se desenvolve.

Segundo, aprendemos que o que somos só se manifesta quando nos aplicamos à vida. É a relação que nossa identidade tem com a vida.

Em terceiro, aprendemos que a única maneira de se ter relação com a vida é vivendo. É essa relação que nos renova a existência e a identidade. Renovação só acontece com quem dá de si. "Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre" (João 7. 38). "Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo. (Lucas 6. 38)".

O Senhor Jesus tem produzido coisas lindas e tremendas no nosso meio e em nosso interior. Chegou o momento de dar a luz, mesmo que não tenhamos força para isso.

Quando não se dá à luz no devido tempo, tem-se que dar à luz de qualquer maneira, caso contrário entra em sofrimento. Chegou a hora de nos reproduzirmos. O momento do parto, pois o Senhor vem gerando algo em nós há muito tempo. É hora de gerar algo maravilhoso, para a glória de Deus. O que o senhor quer fazer é muito grande. O inimigo não está satisfeito com essa ideia. Vai tentar matá-lo no nascedouro. Contudo vamos repreende-lo e resistir a ele, em o nome do Senhor Jesus.



Mensagem pregada na 3a Igreja Presbiteriana, no culto da UMP e UPA. No dia 24/04/1999. Baseada no texto de João 8. 12.