Páginas

terça-feira, 18 de novembro de 2014

As Bênçãos Depois da Reconstrução

A maioria das pessoas pensa que pensar em Deus é perca de tempo. Por isso ao encontrar uma mensagem como esta logo pensa, não “tenho tempo para isso”.

Mas se prestarmos atenção ao que acontece no mundo ao nosso redor, logo veremos que essa forma de pensar é exatamente o que tem causado muitos problemas na atualidade.

Grande parte da humanidade acredita que Deus deve ser buscado somente na igreja aos domingos pela manhã. Mas até isso em muitas igrejas tem sido mudado, pois em muitos lugares essa busca é feita somente nos domingos à noite.

Muitas pessoas gostam de ter Deus nos momentos de doença e ainda mais nos funerais. Mas quando se trata de termos tempo para Deus nos momentos de trabalho e em nossos momentos livres, O esquecemos por completo... Porque?

Será porque nos dá prazer, e o prazer nada tem a ver com Deus? Ou porque é a parte de nossa vida que pensamos poder controlar sozinhos?

Não existe um tempo ou lugar onde Deus possa deixar de ser o primeiro em nossa vida. Devemos ter sempre tempo para lembrar de tudo que Ele faz em nossa vida.

Eu não posso me envergonhar de Deus. Jesus disse que: "Todo aquele que se envergonhar de Mim diante dos homens, também Eu me envergonharei dele diante do Pai." (Mateus 10:33.).


É tempo de orar. De fazer cumprir o nosso dever cristão no mundo em que vivemos. É tempo de reconstruir. É tempo de ver as bênçãos da reconstrução alcançando nossa vida. De fazer a alma descansar em paz. De ter uma palavra de encorajamento, de falar de Jesus para os amigos, sem medo de eles rirem de você. Não há mais tempo para isso, pois há muito que ser feito: “A natureza criada aguarda, com grande expectativa, que os filhos de Deus sejam revelados” (Romanos 8:19).

É preciso começar a reconstruir, para isso Deus nos dá coragem e ânimo: “E o Senhor suscitou o espírito do governador de Judá Zorobabel, filho de Sealtiel, e o espírito do sumo sacerdote Josué, filho de Jeozadaque, e o espírito de todo o resto do povo; e eles vieram, e começaram a trabalhar na casa do Senhor dos exércitos, seu Deus” (Ageu 1. 14).
Ao começarmos a reconstrução do templo, Deus promete que o segundo templo será mais belo que o primeiro, de onde virá prosperidade e paz: “A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o Senhor dos exércitos; e neste lugar darei a paz, diz o Senhor dos exércitos” (Ageu 2. 9). 


Para a reconstrução do templo, é preciso trazer a memória àquilo que acontecia antes: “Agora considerai o que acontece desde aquele dia. Antes que se lançasse pedra sobre pedra no templo do Senhor” (Ageu 2. 15).

E Deus promete abençoar quando o povo se voltar para adorá-lo: “Considerai, pois, eu vos rogo, desde este dia em diante, desde o vigésimo quarto dia do mês nono, desde o dia em que se lançaram os alicerces do templo do Senhor, sim, considerai essas coisas. Está ainda semente no celeiro? A videira, a figueira, a romeira, e a oliveira ainda não dão os seus frutos? Desde este dia hei de vos abençoar” (Ageu 2. 18, 19).

Ao reconstruirmos o templo do Senhor, Deus promete derrotar seus inimigos e colocá-lo em seu lugar de destaque: “Fala a Zorobabel, governador de Judá, dizendo: Abalarei os céus e a terra; e derrubarei o trono dos reinos, e destruirei a força dos reinos das nações; destruirei o carro e os que nele andam; os cavalos e os seus cavaleiros cairão, cada um pela espada do seu irmão” (Ageu 2. 20).

Tudo isso é tremendo, pois Deus fará que até o inimigo haja a seu favor: “...os cavalos e os seus cavaleiros cairão, cada um pela espada do seu irmão” (Ageu 2. 22b).

Bem, a profecia do profeta Ageu, para a reconstrução do templo, está datada de 520 a. C. O profeta pertence no período pós-exílio, e sua profecia é um apelo às autoridades e ao povo para a construção do templo, que estava a dezesseis anos interrompida. Sua intenção era mostrar a falsa opinião de que a obra de Deus é de caráter secundário, devendo assim esperar os problemas econômicos serrem resolvidos. Demonstra também que foram esses mesmos problemas que constituíram o juízo pelo descuido do primeiro templo. 

É preciso cuidar das coisas de Deus. Não construindo templos formosos e grandes e sim o seu corpo, o seu coração e sua mente. Pois o novo templo no qual Deus habita hoje é o seu corpo: “Não sabei vós que sois templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós é santo" (1 Co 3.16, 17).