Páginas

quarta-feira, 27 de julho de 2016

A Doutrina da Eleição - Soteriologia - E.T. - Parte 4

Chegamos a parte quatro da nossa reflexão sobre a Doutrina da Eleição, e hoje nós a veremos sobre o ponto de vista da Teologia Agostiniana, ou quem preferir, Teologia Calvinista.

O Calvinismo é o sistema teológico originado na obra de João Calvino João Calvino foi um dos grandes teólogos e estudiosos da Reforma, viveu entre os anos de 1509 à 1564.


No cerne do pensamento de Calvino, está a soberania de Deus, como se pode constatar na sua obra As Institutas da Religião Cristã. Portanto, o calvinismo tornou-se o desenvolvimento histórico com base nas Institutas.

A teologia Calvinista ensina que a base da eleição se encontra na soberana vontade de Deus. Este ponto de vista foi ensinado e mantido, pelo menos durante bom tempo na história, pelos presbiterianos, pelos reformados, pelos batistas, pelos metodistas de Gales, sendo também a teologia ensinada nos Trinta e Nove Artigos da Igreja Anglicana.

No Breve Catecismo de Westminster temos uma breve apresentação desta doutrina, na pergunta de número 20, onde se pode ler: “Deixou Deus todo o gênero humano perecer no estado de pecado e miséria?”, a resposta é: “Tendo Deus, unicamente pela sua boa vontade desde toda a eternidade, escolhido alguns para a vida eterna, entrou com eles em um pacto de graça, para os livrar do estado de pecado e miséria, e trazer a um estado de salvação por meio de um Redentor.”

Está doutrina é apresentada tanto no Breve Catecismo de Westminster, no capítulo III, como também nos Cânones do Sínodo de Dort.


Para entendermos melhor, a palavra Cânon significa “padrão” ou “regra”. Mas este termo está mais associado à coletânea de livros que a igreja reconheceu como Palavra de Deus escrita, ou seja, As Escrituras.

É, portanto, as Escrituras que faz o papel de regra ou padrão de fé e prática.

Todavia existem tradições cristãs que não concordem plenamente sobre quais livros devam compor as Escrituras. Mas todos concordam em que os 66 livros da Bíblia protestantes são canônicos, e isso faz com que eles tenham autoridade.

Já o Sínodo de Dort, foi uma Assembleia da Igreja Reformada dos Países Baixos, convocada em Dort em 1618-1619 para tratar principalmanete das questões da separação entre igreja e estado e também da controvérsia armeniana.

Nessa ocasião o sínodo posicionou-se contra o Armenianismo e alaborou os Cânones de Dort, que confirmavam as doutrinas da depravação total da humanidade, da Eleição incondicional, da Expiação Limitada, da graça divina irresistível e da perseverança dos santos, ou, preservação por parte de Deus.

Caso alguém queira conhecer mais a fundo estas questões, basta simplesmente estudar o Breve Catecismo de Westminster e Os Canones de Dort, para maiores esclarecimentos.

No próximo mês estaremos mostrando as provas tiradas das Escrituras que aprovam a Doutrina Calvinista, como também, algumas objeções a esta doutrina.

Até lá.


Leia também: