Páginas

terça-feira, 2 de junho de 2015

A Obra de Deus Em Nós

A palavra Fé aparece na Bíblia cerca de 248 vezes. É a fé que abre o mundo do impossível. O escritor da Carta aos Hebreus escreveu: “Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam” (Hebreus 11. 6).

A fé também é utilizada para que creiamos que Deus faz uma mudança em nosso ser. Mas infelizmente a ênfase tem sido dada não na obra que Deus faz em nós e sim naquilo que queremos fazer para Deus.

Hoje “Obra de Deus” ganhou o sentido dos cristãos fazerem algo para Deus. Quem nunca ouviu alguém dizer: “Eu quero trabalhar na obra de Deus”?

Obra de Deus é o que o Espírito faz dentro de nós.

Se você perguntar alguém o que ele entende como obra de Deus, é bem provável que ele responda que é ler a Bíblia, orar, fazer jejum, ou evangelizar. Tudo isso é bom, mas são frutos da obra que Deus faz em nós.

Um fato acontecido cerca de 200 anos A.C. foi o encontro que Deus fez com Abraão. Abraão morava em um lugar chamado Ur dos Caldeus, onde é bem possível que tenha nascido. Estudiosos dizem que Ur era um centro comercial da Mesopotâmia do Sul, ficava cerca de 160 km a sudeste da Babilônia. Era um lugar que exercia influência no mundo daqueles dias. Hoje o lugar é conhecido como Iraque.


Estudiosos dizem ainda que é bem Terá, pai de Abraão, possuía uma fabrica de ídolos ali. A cidade de Ur tinha um padroeiro chamado Sin. Eles acreditam que Abraão, que então se chamava Abrão, sofreu uma grande e terrível influência idolatra.

Portanto foi nessas condições que Abraão foi escolhido e chamado por Deus. É interessante que Deus não disse a Abraão que se ele andasse em Sua presença, automaticamente Abraão se tornaria perfeito.

A direção que Deus deu a Abraão foi: “Se perfeito”, ou seja, se esforce. Isso nos ensina que para que agrademos a Deus precisamos  nos portar de maneira que agrade a Deus.

Abraão teve seu nome mudado. De Abrão, que significa “Pai exaltado”, passou a Abraão que significa: “Pai de uma multidão”. Isso não quer dizer que seu nome será mudado. E sim que você será transformado. Pelo caráter.

Aquele que vivia nos vícios, agora não vive mais, porque Deus o transformou. Aquela vida devassa que antes ele vivia agora se transformou em devoção a Deus.

Isso é obra de Deus. É a obra que Deus faz em nosso ser, em nosso caráter. Aquilo que fazemos para Deus são frutos, exteriorizando aquilo que antes foi feito pelo Espírito em nosso interior. 

Mas o que se aprende hoje é que devemos trabalhar, aprender a ser líderes, para ganhar vidas. Portanto: “Pasmem e fiquem atônitos! Ceguem-se a si mesmos e continuem cegos! Estão bêbados, não porém de vinho, cambaleiam, mas não pela bebida fermentada. O Senhor trouxe sobre vocês um sono profundo: fechou os olhos de vocês, profetas; cobriu as cabeças de vocês, videntes. Para vocês toda esta visão não passa de palavras seladas num livro. E se vocês derem o livro a alguém que saiba ler e lhe disserem: "Leia, por favor", ele responderá: "Não posso; está lacrado". Ou, se vocês derem o livro a alguém que não saiba ler e lhe disserem: "Leia, por favor", ele responderá: "Não sei ler". O Senhor diz: "Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A adoração que me prestam só é feita de regras ensinadas por homens. Por isso uma vez mais deixarei atônito esse povo com maravilha e mais maravilha; a sabedoria dos sábios perecerá, a inteligência dos inteligentes se desvanecerá". Ai daqueles que descem às profundezas para esconder seus planos do Senhor, que agem nas trevas e pensam: "Quem é que nos vê? Quem ficará sabendo?" Vocês viram as coisas de cabeça para baixo! Como se fosse possível imaginar que o oleiro é igual ao barro! Acaso o objeto formado Pode dizer àquele que o formou: "Ele não me fez"? E o vaso poderá dizer do oleiro: "Ele nada sabe"?” (Isaías 29:9-16).