Páginas

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Bate-Pronto

Um dia alguém me perguntou como escolher uma namorada. Respondi que seria bom que ela fosse cristã. Pois, Paulo nos adverte em 2 Coríntios 6.14 para que:  “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos…”. Pois quando observamos o contexto daquilo que Paulo está falando, fica claro que se trata da sociedade, da comunhão e ligação entre os servos de Deus e aqueles que não o servem. Portanto, é bom que o cristão avalie com muito cuidado seus laços de relacionamento e até mesmo de negócios com pessoas incrédulas.

Outra coisa que seria bom, que ela fosse uma mulher trabalhadeira. Uma mulher que foge ao trabalho não é bom. Imagine como seria viver todos os dias com alguém que não faz o seu trabalho diário. Como ficaria essa casa?


Veja o que diz Salomão acerca da mulher que trabalha: “Seus filhos se levantam e a elogiam; seu marido também a elogia, dizendo: "Muitas mulheres são exemplares, mas você a todas supera". A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme ao Senhor será elogiada” (Provérbios 31. 28-30). A mulher deve ser determinada.

Outra coisa, é bom que a mulher seja cheia do Espírito Santo. Caso contrario sua vida virará um inferno. Jesus disse: "Todo reino dividido contra si mesmo será arruinado, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá” (Mateus 12.25).

Observe isso e você será feliz.