Páginas

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

A Fé Incapaz de Mudar a Tragédia

Que tipo de fé pode ser incapaz de mudar a sua tragédia?
Que tipo de fé é incapaz de mudar a história de sua família?
Vivemos num tempo em que muitos insistem em que a relação com Deus é algo que definitivamente os poupará de toda e qualquer infelicidade. No entanto não é assim.
Quando olhamos para Oséias, padeiro de profissão (Oséias 7. 5-8). Um homem natural do Reino Norte de Israel, que conhecia a vida econômica de sua cidade, sua política religiosa e sua história; além de ter uma boa escolaridade, pois tinha uma profunda veia literária. Descobrimos uma grande tragédia na vida familiar de um homem de Deus.

A história de Oséias é uma história de amor. É a história de um profeta, que fez da tragédia dentro de sua própria casa, a razão do sucesso de seu ministério. Oséias foi um homem que arriscou tudo para que não deixasse de viver com dignidade.
E o que o caracterizou como homem de Deus foi exatamente a sua tragédia. Oséias está imortalizado através do registro bíblico, e o seu grande insucesso foi o que tornou a sua mensagem tão veemente e abaladora. Pois por traz da história do amor de Oséias pela sua esposa, estava a história do amor de Deus pelo povo de Israel. 

Nos dias de hoje Oséias seria visto como um homem sem fé, que estava vivendo em pecado ou talvez coisa pior. Mas no registro bíblico ele é apresentado como alguém que fala em nome de Deus. Mas que apesar disso, sua casa está marcada pela tragédia, seus filhos tem o nome da desgraça.

Nos onze versos do livro de Oséias no capitulo 1, encontramos o registro resumido dessa história de Oséias. Ali está mostrando uma mulher que se torna prostituta por permissão de Deus, pois ela ilustra a atitude do povo em relação ao Senhor. E o amor de Oséias por ela, ilustra o próprio amor de Deus pelo povo de Israel.
O importante é que Oséias tira disso tudo uma lição que é aplicável em sua vida como homem de Deus. Ele consegue perceber que há um paralelismo entre sua história e a história de Deus. Enquanto isso a calamidade vai envolvendo a família. Pois os filhos vão nascendo e parece que os filhos vão sendo estigmatizados através de seus nomes.

O primeiro deles recebe o nome de Jizreel (Oséias 1. 4), que trás o sentido de desgraça, catástrofe. Depois nasce uma menina, Deus pede para que se ponha o nome dela de Lo-Ruama (Oséias 1. 6), ou seja, aquela que não recebe graça. Depois nasce outro filho, e esse o profeta tinha certeza que não era seu, seu nome foi Lo-Ami (Oséias 1. 9), com o sentido “não meu povo”.

Se coloque na pele desse homem de Deus e pergunte-se: “quais são os meus valores?” Pois Oséias era um homem honrado, de excelente reputação, e sua mulher o trai publicamente. O que você teria feito? Qual teria sido a sua reação?
A maioria de nós quando somos tocados pela tragédia, perde a doçura, fica amargo, ressentido, desenvolve uma amargura contra Deus e contra o próximo, e sua fé vai sendo adubada por esse sentimento.
Todavia, Oséias não perde a sua capacidade de perdoar (Oséias 3. 2), ele aceitava agora, o presente, com uma visão no futuro, e essa é a característica do perdão. Mas apesar disso, ele era um homem que tinha respeito próprio (Oséias 3. 3), era alguém que tinha acima de sua reputação e do seu machismo, a sua dignidade.
Talvez ele tenha perdido a sua reputação, mas era alguém que não queria perder a sua dignidade.

E você, como encara isso? A reputação é o que os outros pensam de você, a dignidade é aquilo que você sabe de si mesmo.
O que é mais importante para você? Será a opinião pública sobre você ou, a sua consciência sobre si mesmo?

O profeta Oséias era um homem que não aceitava outra coisa a não ser gente até as últimas consequências. Era alguém com um grande desejo de ser humano diante de Deus. Era alguém que enfrentou grandes implicações, e por isso recebeu de volta a sua esposa. 
Fica aqui uma grande lição desse grande homem de Deus para nossa vida.