Páginas

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Batalha Feroz

Viva na contra mão do mundo. É isso que o apóstolo Paulo queria dizer ao escrever aos romanos: “Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a Ele” (Romanos 12. 2).

Existem muitas situações que nos chamam e nos desafiam a uma batalha feroz. Talvez a de maior proporção seja a luta para proteger o casamento. A de manter o compromisso conjugal de viverem juntos até que a morte os separe e a da fidelidade.

É difícil conseguir fundamentar a decisão de envelhecer juntos. A Palavra de Deus ensina: “Portanto, o que Deus uniu ninguém separe” (Mateus 19. 6).

 

Porque é tão difícil?

Por causa da cobiça. Deus disse: “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo” (Êxodo 20. 7).

Segundo a definição do dicionário da web, cobiça e ganância é a mesma coisa: “Ganância é um sentimento humano que se caracteriza pela vontade de possuir para si próprio tudo o que admira. É a vontade exagerada de possuir qualquer coisa”. A cobiça não conhece limites!

Mas além da nossa própria cobiça, existe alguém que não mede esforços em sua luta para destruir os lares e as famílias, este é o diabo. O seu nome já diz tudo, a palavra Diabo vem do grego “διαβολος diabolos” e significa “Enganador”.

A intenção de enganar sua mente com aparentes prazeres é a forma que ele usa para você cair na tentação da infidelidade.
Portanto faça um compromisso primeiramente com a fidelidade mental, aceite os ensinos das Escrituras: “As suas instruções são uma luz brilhante, e a sua correção ensina a viver. Elas livrarão você da mulher imoral e das suas palavras sedutoras. Não seja tentado pela sua beleza, nem caia na armadilha dos teus olhos tentadores. Qualquer homem pode ter uma prostituta por pouco dinheiro, mas o adultério custará a ele a sua própria vida” (Provérbios 6. 23-28).

Por quê? Porque o caminho da fidelidade passa pelos sentimentos e pelo pensamento. Por isso é preciso está atento, conversar muito com seu cônjuge. A infidelidade trás consequências avassaladoras e impõe uma dolorosa ferida, faz desaparecer o respeito e a confiança.
Ambicionar o “Lepo-Lepo”, um ato sexual diferente, para obtenção de um prazer erótico diferenciado, pode trazer muitas dores às famílias. Pois pode machucar os filhos, causando-lhes vergonha e dor; destruindo todo o exemplo que dá credibilidade junto a eles. Também anula a possibilidade de ensinar-lhes os ensinos de Deus. Pode também criar o risco de a esposa ou o marido não conseguir perdoar e aniquilar o respeito próprio. Além de criar um terrível sentimento de culpa. Deus perdoa, mas muitas vezes a pessoa não consegue se perdoar.

É uma batalha feroz. Será que vale a pena deixar-se ceder a essa paixão lepoliniana, e abraçar-se a infidelidade como se ela fosse um prato de lentilhas?