Páginas

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Pode Deus Ser Conhecido? - (E.T.)


Dentre muitas perguntas que se faz acerca de Deus, existe uma que talvez permeie a mente de muita gente: “Pode Deus Ser Conhecido”?
Haverão muitas respostas a essa pergunta, algumas especulativas e outras duvidosas.
Para muita gente, Deus é uma criação do homem para colocar um freio aos desejos que existem dentro de si. Para alguns uma força que ajuda o homem na hora em que se precisa dela, para outras não há a possibilidade de existir um Deus devido a tantas catastrofes existente no mundo.
Outras ainda, pensam que Deus existindo não pode ser conhecido. Essa idéia se baseia nos ensinos de Sir Win. Hamilton, que dizia que Deus não pode ser conhecido porque Ele é Absoluto, e o Absoluto não pode ter relação para com outra coisa. Hamilton ensinou ainda que Deus é o Infinito, que o infinito é o ilimitado, e o ilimitado é o incognoscível. Portanto, sendo o infinito o todo, não pode haver nele distinção entre sujeito e objeto. Isso significa que se puder ter conhecimento de Deus, esse conhecimento destruiria a ideia de infinidade de Deus.
A ideia de que Deus não pode ser conhecido originou a doutrina denominada de Agnosticismo, que teve sua origem na filosofia de Kant.
Para compreendermos a ideia de Deus, devemos aceitar que Deus existe sem sabermos no entanto, tudo o que Ele é.
A Bíblia relata a manifestação de Deus na natureza, sua revelação nas escrituras e sua encarnação em Jesus Cristo. Tudo isso nos mostra que Deus pode ser conhecido: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti só por único Deus verdadeiro” (João 17. 3).
Todos nós temos conhecimento da terra, sabemos o que ela é, e sabemos que moramos num planeta chamado Terra. Nós podemos tocar a terra sem, entretanto, sermos capazes de abraçá-la com os braços.
A Bíblia ensina no livro de Isaias 11.9 que: “A terra se encerá do conhecimento do Senhor”. É impressionante como a criança pode conhecer a Deus, ao passo que o filósofo não pode descobrir a sua perfeição.
É verdade que cientificamente não poderemos provar Deus ou mesmo a Sua existência. Se tentarmos limita-lo a essas regras nos decepcionaremos. Porém se olharmos para muitas almas, que sofriam com a dor, como de muitas crianças, de se sentirem sozinhos, desprotegidos, sem um modelo a seguir, sem afeição, devemos levar em consideração a transformação que essas almas tiveram ao se relacionarem com Deus. A proteção e o consolo que encontraram, o alívio do sofrimento pessoal, a confiabilidade e a crença nesse Deus.
Penso que defender uma ideia sem ao menos tentar compreender a outra é burrice. Tentar excluir Deus, ou negar sua existência, ou mesmo não querer conhece-lo é impedir a possibilidade de ver um milagre acontecer bem aí, na sua vida.